2021 chega ao fim!

Que venha então 2022, com terceira dose da vacina, boas leituras e um derradeiro fora Bolsonaro!

Os últimos dois anos foram os mais difíceis de nossa história  – como editora de pensamento crítico em um país governado por um genocida, e como humanidade enfrentando uma pandemia global sem precedentes. Se, em 2020, fomos tragados por um furacão, em 2021 resistimos até que a ciência nos ajudasse a vislumbrar novamente o fim da tempestade.

Como sempre, os livros, os encontros e as trocas  – ainda que virtuais  – nos ajudaram não só a sobreviver, mas a permanecer fortes. Ousamos viver, mesmo assombrados por inúmeras perdas, atravessando lutos, e enfrentando diariamente notícias que mostravam a imagem de um Brasil de terra arrasada.

A vacina, tão esperada, chegou no início do ano, trazendo de volta a esperança no futuro. Não foi pouca coisa, mesmo para nós que publicamos livros que versam sobre lutas, resistências, revoluções e outras formas de viver o presente, visando as transformações de longo prazo.

O desafio da existência, ainda assim, continuou grande para os mais vulneráveis, trabalhadoras e trabalhadores, mulheres e negras e negros. Diante da política de morte, da violência policial, da recessão econômica, do desemprego e da miséria a que amplos setores da nossa sociedade foram condenados, a luta passou pelas manifestações contra Bolsonaro, pela queima do passado bandeirante, pelo exemplo de nossos vizinhos do Chile e de nossas hermanas argentinas, e pelas as discussões sobre a emergência climática.

Comemoramos também, pois é preciso não perder jamais a ternura. Celebramos os 150 anos da Comuna de Paris e seu exemplo histórico; o 8 de Março e a força do feminismo para os 99%; o segundo aniversário de Karl Marx em quarentena e os 6 mil exemplares de sua biografia esgotados em 3 meses; o lançamento da obra da vida de nosso querido amigo István Mészáros e o primeiro ano de existência de nosso clube do livro, o Armas da crítica.

Atravessamos mais um ano de crise no mercado editorial brasileiro. Vimos o cancelamento de eventos literários e feiras, o fechamento de pequenas livrarias, sofremos a concorrência desleal com gigantes do mercado internacional, a ameaça de taxação dos livros e a privatização dos Correios. Para enfrentar as dificuldades, nos aproximamos mais de nossos parceiros, livreiros e leitores e transformamos lançamentos, seminários e cursos em atividades totalmente virtuais. Chegamos mais longe, ainda que diante das adversidades. Publicamos 35 títulos novos e reimprimimos centenas de livros do nosso catálogo. Nosso blog cresceu e nosso canal do YouTube, a TV Boitempo, atravessou a marca dos 300 mil inscritos.

Nada disso teria acontecido sem vocês, que tornam possível nossa existência. Agradecemos seu apoio, fundamental, e convidamos nossos leitores, autores, livreiros e parceiros a seguirem acreditando no poder transformador da leitura. Que ela nos ajude a moldar um mundo radicalmente democrático e socialmente justo.

Que venha então 2022, com terceira dose da vacina, boas leituras e um derradeiro fora Bolsonaro!


Um pouco do que foi 2021

Os autores que estiveram com a gente: Alberto Gabriele, Alysson Leandro Mascaro, Arlenice Almeida da Silva, Bhaskar Sunkara, Boaventura de Sousa Santos, Caio Prado Júnior, Elias Jabbour, Émile Zola, Étienne Balibar, Frantz Fanon, Friedrich Engels, Gonçalo Viana, György Lukács, Hernán Ouviña, Immanuel Wallerstein, István Mészáros, Iuri Tonelo, Jessica Love, Jodi Dean, Jorge Grespan, José Paulo Netto, Judith Butler, Kohei Saito, Laerte Coutinho, Leonardo Padura, Maria Rita Kehl, Marília Moschkovich, Michael Löwy, Nelson Cruz, Olivier Besancenot, Osvaldo Coggiola, Patricia Hill Collins, Pierre Charbonnier, Preta Ferreira, Rafael Grohmann, Ricardo Antunes, Silvia Federici, Sirma Bilge, Tiago Muniz Cavalcanti, Virgínia Fontes, Vitor Araújo Filgueiras, Vladímir Ilitch Lênin.

Alguns dos nossos eventos e vídeos mais vistos na TV Boitempo:


Um pouco do que preparamos para 2022

Saiba, em primeira mão, algumas novidades nas quais estamos trabalhando para o ano que vem!

  • Lacan e a democracia, de Christian Dunker
  • Um dia esta noite acaba, de Roberto Elisabetsky
  • Coleção de obras de Astrojildo Pereira, por ocasião do centenário do PCB
  • A questão comunista, de Domenico Losurdo
  • O desenvolvimento da capitalismo na Rússia, de Vladímir I. Lênin
  • Justiça interrompida, de Nancy Fraser
  • Repensar Marx, de Marcello Musto
  • Teoria social crítica, de Patricia Hill Collins
  • Sobre a militância política, de Valério Arcary
  • Além de novas obras de Alysson Mascaro, Antonio Gramsci, Caio Prado Júnior, Giorgio Agamben, György Lukács, Jodi Dean, Leandro Konder, Marcelo Ridenti, Mario Mieli, Nicolas Tertulian, Paulo Arantes, e, claro, Karl Marx e Friedrich Engels.

Boas festas!

Equipe Boitempo: Camila Nakazone, Débora Rodrigues, Elaine Ramos, Frederico Indiani, Higor Alves, Isabella Meucci, Ivam Oliveira, Ivana Jinkings, Kim Doria, Lígia Colares, Livia Campos, Luciana Capelli, Marcos Duarte, Marina Valeriano, Marissol Robles, Marlene Baptista, Maurício Barbosa, Pedro Davoglio, Raí Alves, Thais Rimkus, Tulio Candiotto e Uva Constriuba.

2 comentários em 2021 chega ao fim!

  1. Mauro Alexandre Pereira de Almeida // 17/12/2021 às 5:52 pm // Responder

    Que 2022 seja um ano Revolucionário!

    Curtir

  2. Claudio Coutinho // 27/12/2021 às 10:30 pm // Responder

    Feliz 2022, para todos vocês. A luta continua, Fora Bolsonaro e o fascismo.

    Curtir

1 Trackback / Pingback

  1. 2021 chega ao fim! — Blog da Boitempo | THE DARK SIDE OF THE MOON...

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: