Osvaldo Coggiola

A crise do Brasil capitalista é maior do que a “guinada à direita”

18/10/2016 // 5 comentários

Por Osvaldo Coggiola / "A PEC 241 não pode ser desvinculada da reforma política que visa eliminar boa parte dos partidos políticos (visando principalmente à esquerda) sob o pretexto de sua multiplicação (35 atualmente, contra 27 em 2008) e da acentuação da repressão social, com a anunciada declaração do “estado de emergência” (policial e militar) em várias capitais e até no país todo, sem falar na abertura do filé mignon da economia nacional ao capital financeiro multinacional." [...]

Impeachment, crise e golpe: o Brasil no palco da tormenta mundial

31/05/2016 // 7 comentários

Por Osvaldo Coggiola / "O impeachment de Dilma pode ser qualificado politicamente como um golpe de Estado. Quem limita o uso desse conceito aos golpes militares, ou às mudanças de regime político obtidas mediante o uso explícito da força, possui um conceito estreito e formal, não só do conceito de golpe, mas também do próprio Estado e de seus regimes políticos. [...]

Por quem os sinos gregos dobram?

11/08/2015 // 5 comentários

Osvaldo Coggiola / "A crise europeia e suas consequências sociais e políticas repõem a revolução socialista na agenda política continental e mundial. Uma nova situação política e histórica se abriu. Grécia é a ponta avançada da crise europeia, o centro da luta de classes no Velho Continente. Europa, por sua vez, está cada vez mais no centro da luta de classes mundial. O divisor de águas está tomando forma. Todos os partidos, organizações e até simples militantes, do mundo todo, serão obrigados tomar partido..." [...]

Ser ou não ser (Charlie)

12/01/2015 // 3 comentários

Osvaldo Coggiola / "Perto de Charlie Hebdo, o CQC ou o extinto Cassetta & Planeta de Bussunda e amigos parecem programas infantis com roteiro redigido por freiras..." [...]

A insustentável leviandade do Zago

26/08/2014 // 1 comentário

Osvaldo Coggiola / "A greve da USP é uma luta de todos os trabalhadores em defesa do patrimônio público, de uma universidade pública, gratuita e de qualidade voltada para os interesses e necessidades das maiorias pobres e trabalhadoras, baseada no ensino, pesquisa e extensão indissociáveis e, sim, excelentes, porque voltados para a formação integral, científica e humana, dos cidadãos-estudantes e da comunidade em geral, e não para o adestramento canino de imbecis fluentes em língua inglesa." [...]

O ciclo militar na América do Sul

24/03/2014 // 5 comentários

Osvaldo Coggiola / "A dificuldade, quando analisamos os governos militares das décadas de 1960 a 1980, consiste em determinar os rasgos comuns a regimes e situações políticas diversas. Em que pesem as enormes diferenças, alguns pontos em comum de todos os regimes militares são evidentes: dissolução das instituições representativas, falência ou crise aguda dos regimes e partidos políticos tradicionais, militarização da vida política e social em geral. Os regimes militares “progressistas”, por outro lado, foram a exceção e não a regra nesses 'anos de chumbo'." [...]