Luis Felipe Miguel

De dezembro de 1968 a outubro de 2018

11/12/2018 // 2 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "Ao escolher Bolsonaro, investir em sua candidatura, blindá-la contra questionamentos e fechar a porta para qualquer repactuação da ordem democrática fraturada com o golpe de 2016, a classe dominante brasileira decidiu abraçar sem disfarce um programa de retrocesso acelerado e violência social." [...]

Democracia e memória

23/11/2018 // 5 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "A retomada da democratização do Brasil, quando ocorrer, terá que produzir uma nova política da memória. Tal como o sono da razão, a amnésia também cria monstros. A ausência de consciência histórica foi central para que um discurso como o de Bolsonaro ganhasse a força que ganhou." [...]

Os trens não vão sair no horário

17/10/2018 // 4 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "A eleição de Bolsonaro, não nos equivoquemos, é o prenúncio da ditadura. Resistir a um novo golpe, agora de caráter neofascista, tendo-o na presidência será muito mais difícil. Iludem-se aqueles que agem hoje pensando nas vantagens que poderão ter em 2022, simplesmente porque a própria continuidade do processo eleitoral está ameaçada." [...]

Dois caminhos para a ditadura

19/09/2018 // 7 comentários

Luis Felipe Miguel / "Estão dados dois caminhos claros para a instauração de uma ditadura, traçados por generais da reserva. É necessário que as forças políticas democráticas saibam superar suas diferenças e apresentar um rechaço unânime à hipótese de intervenção militar. Não podemos, uma vez mais, deixar para nos mobilizar só quando já for tarde demais." [...]

Para além da democracia direta

24/08/2018 // 6 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "É preciso ir além do modelo plebiscitário, que nos oferece um simulacro de participação direta e deixa intocados os problemas de fundo, e buscar formas de democratizar a representação." [...]

Marx e a ciência política

07/05/2018 // 2 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "Toda a ciência social digna de seu nome toma por base alguma concepção materialista da história e, assim, é tributária do pensamento de Marx." [...]

Entre o fascismo e nós, só há nós

20/04/2018 // 10 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "Quem nos protegerá do avanço do fascismo? Certamente não a lei, que vigora de forma tão insuficiente e que se encontra nas mãos de pessoas dispostas a compactuar com esse avanço na medida em que colabore para a promoção de seus próprios interesses." [...]

Quem Marielle Franco representa?

21/03/2018 // 4 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "Marielle vinha das comunidades pobres e dedicava a elas o melhor de suas forças. Seu mandato, embora conquistado com muitos votos da Zona Sul, era voltado para a favela e com ela mantinha interlocução densa e permanente. É por isso, também, que sua morte representa um revés tão sério para a luta popular, no Rio e no Brasil." [...]

O enterro da “democracia utópica”

22/02/2018 // 10 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "Quando as nuvens do golpe de 2016 já sombreavam o horizonte, a maior parte da ciência política brasileira ainda via nossa democracia como “consolidada”. E mesmo hoje, quando o som dos coturnos em marcha alcança nossos ouvidos, muitos ainda se perguntam como pôde ter acontecido o que aconteceu e não vislumbram nenhum projeto além da restauração da ordem que foi derrubada junto com a presidente Dilma Rousseff." [...]

Neste momento, defender Lula é defender a justiça e a democracia

23/01/2018 // 15 comentários

Por Luis Felipe Miguel / "O que se condena em Porto Alegre não é o ex-presidente e seu direito de concorrer às eleições deste ano. O que se condena é o que resta do império da lei e da democracia formal no Brasil. Se não ocorrer algum inesperado e o TRF-4 seguir o script, amanhã o golpe terá dado um novo e importante passo e estaremos ainda mais próximos da instauração de uma ordem abertamente autoritária." [...]