Colaborações especiais

A obra-prima de Evguiéni Pachukanis | Por Alysson Mascaro

10/04/2017 // 2 comentários

Por Alysson Mascaro / "A partir da obra de Pachukanis, revela-se impossível apostar na transformação social por caminhos jurídicos ou estatais: a forma jurídica e a forma política estatal são elementos centrais do capitalismo. Exploração capitalista é direito e ordem estatal." [...]

Uberização do trabalho: subsunção real da viração

22/02/2017 // 6 comentários

Por Ludmila Costhek Abílio / "Em outubro de 2016, o governo de Michel Temer sancionou uma lei que passou desapercebida nos embates sobre as terceirizações. A lei “Salão parceiro – profissional parceiro” desobriga proprietários de salões de beleza a reconhecerem o vínculo empregatício de manicures, depiladora(e)s, cabelereira(o)s, barbeiros, maquiadora(e)s e esteticistas. O estabelecimento torna-se responsável por prover a infraestrutura necessária – os demais trabalhadores seguem sendo reconhecidos como funcionários – para que suas “parceiras” e “parceiros”, agora legalmente autônomos, realizem seu trabalho. Assim, aquela manicure que trabalha oito horas por dia ou mais, seis vezes por semana, para o mesmo salão, poderá ser uma prestadora de serviços." [...]

Losurdo e a atualidade da luta de classes

20/01/2017 // 3 comentários

Por Miguel Urbano Rodrigues / "A editora Boitempo lançou recentemente o último livro de Domenico Losurdo: "A luta de classes". É um ensaio difícil. Árido. Por vezes, pesado. Mas fascinante pela lucidez e criatividade." [...]

Modelos vivos, vivazes e vivaldinos. Viva Laerte!

06/12/2016 // 1 comentário

Gilberto Maringoni / "Uma preciosa coletânea da melhor fase de Laerte nos quadrinhos já pode ser adquirida nas boas casas do ramo. E, como atrativo adicional, vem embalada em belos exercícios do que antigamente se chamava 'desenho ao natural'." [...]

Chamemos a coisa pelo nome: pilhagem, rapinagem, espoliação!

02/12/2016 // 7 comentários

Por Felipe Brito / "Chamemos logo a coisa pelo nome: pilhagem, rapinagem, espoliação! Vidrados e agarrados a essa coisa, os endinheirados e poderosos no Brasil insistem na tese segundo a qual o orçamento público do país não comporta a Constituição Federal de 1988 – o que, conforme já registrado, significa assumir, na prática, que uma enorme massa de mulheres e homens não cabe no Produto Interno Público (PIB) brasileiro. Nada além de uma monstruosa coerência com as coordenadas de uma formação social estruturada sobre séculos de escravidão, rapinagem de recursos naturais, que naturaliza o extermínio da juventude negra, pauperizada e moradora de favelas." [...]

PEC e Chapecó

01/12/2016 // 1 comentário

Por Ludmila Abílio / "As ironias do destino quiseram que no dia da votação da “PEC da morte” o mundo parasse para encarar a tragédia de um time de futebol brasileiro dilacerado. O acidente, lembrando Paul Virilio, nos devolve brutalmente a percepção histórica do que está naturalizado. Para o governo brasileiro, tamanho acontecimento não só não interrompeu o fluxo, como serviu de acelerador para desviar das tensões sociais. Desvio feito à base de Choque. Ao contrário da Colômbia, em Brasília as vidraças ainda contam mais que corpos vivos." [...]