Colaborações especiais

Mike Davis: Os “midterms” e a hegemonia de Trump

09/11/2018 // 1 comentário

Por Mike Davis / "Se interpretados de maneira realista, os resultados das eleições de meio de mandato deveriam dissipar qualquer ilusão de que o trumpismo seria um pesadelo passageiro ou um acidente histórico. Nenhum Presidente estadunidense, nem Roosevelt, nem Nixon, jamais exerceu domínio tão inconteste sobre seu partido." [...]

A revolta do jovem István Mészáros

06/11/2018 // 4 comentários

Por Maria Orlanda Pinassi / "O leitor tem aqui um libelo decisivo contra o stalinismo e a erradicação cosmética anunciada por Khruschov. Na melhor tradição do marxismo húngaro, herdada principalmente da crítica filosófica de Lukács e da perspicácia literária de Déry, Mészáros constrói uma clara exposição sobre o sentido antidialético dado à 'linha política perfeita' e à propagada 'verdade em marcha', bem como desvenda os meandros de um regime que esterilizou a política, instrumentalizou a arte e aprisionou o pensamento." [...]

Bolsonaro e o momento hiperautoritário do neoliberalismo

29/10/2018 // 6 comentários

Por Christian Laval / "Alguns falam de momento fascista ou neofascista do neoliberalismo. Eu chamaria essa fase de momento hiperautoritário do neoliberalismo. É difícil entender, mas trata-se de um tipo de dialética perversa: o neoliberalismo conseguiu capturar e explorar todas as formas de reação e de ressentimento que esse mesmo neoliberalismo suscitou." [...]

Qual o poder do WhatsApp? Quem são e no que acreditam os eleitores de Bolsonaro

23/10/2018 // 4 comentários

Por Isabela Oliveira Kalil / "É necessário, sem dúvida, que a Justiça Eleitoral se posicione sobre o disparo ilegal de pacotes de mensagens via WhatsApp, mas é também necessário nos perguntarmos como e por que as pessoas tendem a acreditar e compartilhar mensagens falsas. A partir de uma extensa pesquisa de quase três anos, foi possível identificar 16 diferentes perfis de apoiadores, eleitores e potenciais eleitores de Jair Bolsonaro." [...]

Pasolini: Detesto quem anda com uma pistola no bolso

19/10/2018 // 5 comentários

Pier Paolo Pasolini / "Um idiota que anda por aí armado com uma pistola, só se pode detestá-lo. A partir desse sintoma – pequeno, por fim, embora tão chamativo – pode-se reconstruir uma pessoa inteira, com todos os seus sentimentos. Nele predomina uma desconfiança obsessiva com o próximo, um narcisismo fanático e desagradável, um orgulho introvertido e deselegante que o tornam um paciente odioso para o médico, um personagem insuportável para o autor..." [...]

Anita Prestes: Existe ameaça fascista no Brasil?

18/10/2018 // 5 comentários

Por Anita Leocadia Prestes / "Diante do fenômeno “Bolsonaro” que se explicitou com as eleições deste ano, parte das “esquerdas” se depara com a seguinte questão: podemos afirmar que existe uma ameaça fascista em nosso país? Seria correto identificar esse fenômeno com o fascismo?" [...]

#EleNão e #EleSim: uma perspectiva feminista sobre os protestos em São Paulo e sua repercussão

04/10/2018 // 4 comentários

Por Isabela Oliveira Kalil / "O número de mulheres brancas e universitárias de classe média no #EleNão não pode subtrair a presença de mulheres negras, lésbicas, pobres, indígenas, trans, sem-terra, periféricas, antifascistas, sem-teto e outras que estavam no ato liderando os blocos. Mesmo que representem um número estatisticamente pouco expressivo, elas estão na linha de frente e dão forma, sentido e direção ao ato. E isso não é pouco." [...]

À beira do abismo

03/10/2018 // 8 comentários

Por Marcos Barreira / "A confusão sistemática da popularidade do ex-presidente Lula entre os segmentos de baixa renda, maciçamente conservadores, com a ideia de um avanço das pautas de esquerda é o que está na origem da estratégia suicida do PT." [...]

David Harvey: o capitalismo da servidão por dívida

29/08/2018 // 5 comentários

Por David Harvey / "Uma das formas de exercer controle social é afundar as pessoas em dívidas a tal ponto que elas não possam sequer imaginar um futuro que não seja viver para poder pagar sua dívida. Se você pensar, um dos maiores limites ao radicalismo, por exemplo, da geração dos 'millennials', é o imenso volume de dívida estudantil que eles têm. Cientes isso, eles não vão se arriscar tanto. Servidão por dívida é o que tem para hoje." [...]