Christian Dunker

Alá não é Deus. Uma reflexão sobre psicanálise e islamismo

07/07/2017 // 13 comentários

Por Christian Dunker / "O medo não apenas cria monstros, ele cria monstros que falam a nossa língua e são pré-determinados por nossas fantasias. Mas se é verdade que as identidades são sempre baseadas em políticas, disso não decorre que nossas políticas tenham que se basear em identidades." [...]

As estrebarias de Aúgias

12/06/2017 // 12 comentários

Por Christian Dunker / "Muitos não concordaram ou não entenderam os termos e os meios do julgamento sobre as pedaladas fiscais. Mas acreditaram que ele significava um novo estado de coisas, que implicava reformular as antigas práticas erradas. Um voto de fé para iniciar um processo transformativo. O 'golpe dentro do golpe' que vivemos agora é desmobilizador, silencioso e apático porque se apoia sobretudo na vergonha dos enganados." [...]

A psicanálise como ciência

30/05/2017 // 10 comentários

Por Christian Dunker / "Recebi um grande número de comentários sobre minha última coluna, acerca do discurso da “pós-verdade” e seu uso da ideia de pseudociência. Muitos desses leitores concordavam com crítica feita ao jornalismo científico mal feito e à ingenuidade com a qual se usa a ideia de ciência como instrumento de autoridade e silenciamento no Brasil. Para aqueles que pediam detalhes sobre o problema da cientificidade da psicanálise, aqui vai uma coluna que compila dados e autores em favor do reposicionamento da psicanálise tanto no campo da ciência, quanto da crítica da ideologia." [...]

Crítica e ideologia em tempos de “pós-verdade”

17/05/2017 // 5 comentários

Por Christian Dunker / "Expressões como 'pseudociência' ou 'pseudointelectual' são recorrentes entre autores que se consagram à pós-verdade, justamente porque, na medida em que elas o guarnecem na posição de quem pratica a denúncia, isso aparentemente os blinda da crítica de estarem, eles próprios, fazendo 'pseudoepistemologia' ou 'pseudocrítica'." [...]

Universidade em ritmo de barbárie

15/03/2017 // 7 comentários

Por Christian Dunker / "Se no lugar onde a palavra deve ser o princípio fundamental do poder, praticamos a violência gratuita, o que esperar para o nosso funcionamento social? Tudo se passa como se no momento em que as classes menos favorecidas chegam à universidade, é hora de fechá-la transformando-a em outra coisa." [...]

Como acontece o milagre?

10/01/2017 // 11 comentários

Por Christian Dunker / "Enquanto não reconhecermos a nova função do milagre na política brasileira – fato que tanto esquerda quanto direita evitam enfrentar, ainda que por vezes o instrumentalizem – será muito improvável que entendamos o que foram os anos Temer. As declarações por Deus, pela família e pela comunidade, por ocasião do afastamento de Dilma, a ascensão de líderes religiosos a cargos públicos, a polarização entre deuses e demônios, a cultura da denúncia e da pós-verdade, tudo isso se apoia na lógica do milagre. Contra ela não adianta teologia." [...]

O paradigma do sofrimento e o conflito Israel-Palestina

07/12/2016 // 2 comentários

Por Christian Dunker / "Normalmente quando pensamos no conflito que se arrasta desde 1948 entre Israel e Palestina pensamos em três paradigmas para seu tratamento ou solução: a dimensão histórico-religiosa, a perspectiva político-econômica e a saída futura pela mediação ou conciliação. Gostaria de propor, à guisa de experimento teórico e tomando o caso como um modelo mundial para a solução de conflitos, o que não deixará de interessar aos clínicos e psicanalistas, que assumamos um quarto paradigma: o paradigma do sofrimento. Pensar a partir do sofrimento é levar em conta a dinâmica de reconhecimento, a narrativa e a trasitividade entre os envolvidos no que diz respeito a quem ocupa o lugar de agente e quem é que sofre a ação. Isso significa pensar para além da contagem de vítimas e carrascos ou da dinâmica entre reconciliação e vingança." [...]

O neoliberalismo e seus normalopatas

03/11/2016 // 15 comentários

Por Christian Dunker / "Depois dos frankensteins, esquizoides errantes sem fronteiras, e dos fantasmas alienados que vagam da pressão, descompressão e depressão, chegamos finalmente aos zumbis que hoje se tornaram nossa mais próxima normalopatia." [...]