Um guia teórico, metodológico e político para o feminismo negro

"O livro 'Pensamento feminista negro' é um clássico dos estudos feministas negros porque desde sua primeira edição, publicada em 1990, traz questões que atravessam temporalidades, fronteiras e contextos e as conecta ao presente."

Por Nubia Regina Moreira.

Pensamento feminista negro é um clássico dos estudos feministas negros porque desde sua primeira edição, publicada em 1990, traz questões que atravessam temporalidades, fronteiras e contextos e as conecta ao presente. É uma obra que trata do pensamento feminista negro estadunidense como teoria social crítica que revela a produção intelectual das mulheres negras – quer estejam na posição de mães, donas de casa, trabalhadoras, quer de acadêmicas, escritoras, musicistas, artistas, sejam elas ativistas ou não – e a expressão do conhecimento e da política das mulheres negras.

As contribuições de Patricia Hill Collins para a compreensão do pensamento feminista negro se voltam a seu conteúdo, a suas estruturas interpretativas, às abordagens epistemológicas e à política de empoderamento. Ao lançar mão das noções de interseccionalidade e matriz de dominação, a autora demonstra como raça, classe, gênero e sexualidade constituem sistemas de opressão que se retroalimentam. Ao mesmo tempo, ela nos apresenta dois desafios: primeiro, pensar como os paradigmas interseccionais de opressão organizam a forma de dominação; segundo, perceber como se caracteriza a matriz de dominação na qual as opressões interseccionais se originam, se inserem e se desenvolvem.

Mesmo concordando com a autora em que a versão do feminismo elaborada pelas mulheres negras estadunidenses deve ser entendida no contexto daquele Estado-nação, seu livro se ergue como um guia teórico-metodológico e político para ampliar a compreensão sobre o feminismo negro brasileiro. Uma das inúmeras contribuições que podemos destacar na obra é a quebra da ideia da existência de uma mulher negra arquetípica, essencializada, cuja experiência seria a única autêntica. Essa essencialização suprime as diferenças que existem entre as mulheres negras. Em vez disso, deve-se pensar em um ponto de vista das mulheres negras como grupo, perspectiva esta que surge das tensões geradas por diferentes respostas aos desafios comuns que elas enfrentam. É esse o caminho para se construir uma política de empoderamento que tire vantagem da força coletiva sem passar por cima das diferenças e das particularidades.

* * *

Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento,
de Patricia Hill Collins

“Uma obra desbravadora que produziu diálogos novos e estimulantes tanto entre fronteiras disciplinares quanto entre acadêmicos e ativistas.” — Angela Davis

“Uma obra monumental, indispensável para debater as bases de uma epistemologia feminista negra, mas também para definir que projeto de sociedade queremos. Uma livro que diz respeito a todas e a todos nós.” —  Djamila Ribeiro

Patricia Hill Collins na TV Boitempo

Confira a série de vídeos que está rolando com ninguém menos que Patricia Hill Collins na TV Boitempo! Em episódios exclusivos e legendados em português, a socióloga estadunidense está percorrendo alguns dos principais conceitos e temas de seu clássico incontornável, Pensamento feminista negro: consciência e a política do empoderamento. Inscreva-se e acompanhe!


 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: