O que a Boitempo está preparando para 2018

Ano Marx

Se 2017 foi o ano do centenário da Revolução Russa, marcado pela Boitempo com uma série de publicações (incluindo o lançamento de uma nova coleção editorial) e atividades em torno do legado da experiência soviética, em 2018 completa-se o bicentenário de nascimento de Karl Marx. Ao longo do ano, enquanto principal casa editorial das obras de Marx e de Engels no Brasil e referência internacional por suas edições, organizaremos uma série de atividades em todo o país em torno desse marco histórico. O apoio à distribuição do filme O jovem Karl Marx marca o início de uma extensa programação, que será chamada de Ano Marx e contará com cursos, ciclo de debates e mostras de filmes, além de apoio a eventos acadêmicos e peças teatrais. Como não poderia deixar de ser, para 2018 a Boitempo planeja a edição de livros inéditos de Marx e outros sobre sua vida e obra, incluindo duas biografias, histórias em quadrinhos e livros infanto-juvenis.

Aproveitamos a oportunidade para agradecer o apoio vital de todos vocês que nos acompanham– autores, colaboradores, professores, clientes, leitores –, parte essencial da história da Boitempo. Para 2018, acostumados que estamos a navegar em águas turvas, os leitores podem aguardar uma nova e imprescindível safra de publicações e eventos com os quais pretendemos ajudar a construir não apenas um tempo melhor e uma sociedade mais justa.

Algumas obras previstas para 2018

A nova segregação: racismo e encarceramento em massa [já em pré-venda!]
de Michelle Alexander

Brasil: uma biografia não autorizada
de Francisco de Oliveira

O sujeito dinheiro: mistificação do capital em tempos de rentismo e financeirização
de Leda Paulani

Cadernos filosóficos [coleção Arsenal Lênin]
de Vladímir Lênin

Diferença entre a filosofia da natureza de Demócrito e a de Epicuro
de Karl Marx

A origem da família, da propriedade privada e do Estado
de Friedrich Engels

Karl Marx e o nascimento da sociedade moderna [primeiro volume da monumental biografia de Marx escrita por um dos mais dedicados pesquisadores de sua vida e obra no mundo]
de Michael Heinrich

A transparência do tempo [romance]
de Leonardo Padura

O jovem Hegel: sobre as relações entre dialética e economia [coleção Biblioteca Lukács]
de György Lukács

Dominação e resistência: desafios para uma política emancipatória
de Luis Felipe Miguel

Karl Marx: uma biografia
de José Paulo Netto

A revolta dos intelectuais na Hungria
de István Mészáros

Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil
de Flávia Biroli

O fogo e o relato
de Giorgio Agamben

As revoluções russa e chinesa
de Perry Anderson

E mais…

Além dos livros citados acima, estamos preparando ainda inéditos de Karl Marx, Angela Davis, David Harvey, Maria Rita Kehl, Perry Anderson, István Mészáros, Slavoj Žižek, György Lukács,  Antonio Gramsci, Ricardo Antunes, Raquel Rolnik,  Luiz Bernardo Pericás e Afredo Saad, entre outros… 2018 promete!


Livros publicados em 2017

A revolução das mulheres: emancipação feminina na Rússia soviética, organizado por Graziela Schneider.
Guerra e revolução: o mundo um século após a revolução de Outubro, de Domenico Losurdo.
Teoria geral do direito e marxismo, de Evguiéni Pachukanis.
Olga Benario Prestes: uma comunista nos arquivos da Gestapo, por Anita Leocadia Prestes.
Nós que amávamos tanto O capital: leituras de Marx no Brasil, de Roberto Schwarz, José Arthur Giannotti, Emir Sader e João Quartim de Moraes.
Cinco mil dias: o Brasil na era do lulismo, organizado por Gilberto Maringoni e Juliano Medeiros.
Mulheres, cultura e política, de Angela Davis.
Caminhos divergentes, de Judith Butler.
Ruy Guerra: paixão escancarada, de Vavy Pacheco Borges.
Manifesto Comunista/Teses de abril, de Karl Marx, Friedrich Engels e Lênin, com apresentações de Tariq Ali.
Escritos de outubro: os intelectuais e a Revolução Russa, organizado por Bruno Gomide.
A Revolução de outubro, de Leon Trótski.
Outubro: a história da Revolução Russa, de China Miéville.
1917: o ano que abalou o mundo, organizado por Ivana Jinkings e Kim Doria.
Centelhas: marxismo e revolução no século XXI, de Michael Löwy e Daniel Bensaïd.
Reconstruindo Lênin: uma biografia intelectual, de Tamás Krausz.

Coleção Arsenal Lênin
O Estado e a revolução, de Vladímir Lênin.

Barricada, selo de quadrinhos da Boitempo
Laika, de Nick Abadzis.

Coleção Marxismo e literatura
Ensaios sobre Brecht, de Walter Benjamin

Coleção Marx-Engels
O capital: crítica da economia política [Livro III], de Karl Marx.
Miséria da filosofia, de Karl Marx.
Os despossuídos, de Karl Marx.

Coleção Mundo do Trabalho, coordenada por Ricardo Antunes
O ardil da flexibilidade: os trabalhadores e a teoria do valor, de Sadi Dal Rosso.
A rebeldia do precariado: trabalho e neoliberalismo no Sul global, de Ruy Braga.

Coleção Estado de Sítio, coordenada por Paulo Arantes
Comum: ensaio sobre a revolução no século XX, de Christian Laval e Pierre Dardot.
Fluxos em cadeia: as prisões em São Paulo na virada dos tempos, de Rafael Godoi.
O uso dos corpos, de Giorgio Agamben.

Margem Esquerda, revista semestral da Boitempo
Margem Esquerda: revista da Boitempo, n.29, edição especial dedicada ao tema das lutas indígenas na América Latina hoje.
Margem Esquerda: revista da Boitempo n.28, edição especial inteiramente dedicada ao centenário da Revolução Russa.

Boitatá, selo infantil da Boitempo

2017 foi um ano de muito aprendizado, desenvolvimento e gratidão para o nosso pequeno grande selo infantil, o Boitatá. Publicamos Pode pegar!, o primeiro livro nacional, da maravilhosa Janaína Tokitaka, que, com poucos meses de vida, já foi traduzido no Uruguai pela Topito Ediciones. Estreamos a coleção de Filosofia Visual para Crianças, com o livro-brinquedo Mundo cruel. Traduzimos o fantástico O rio dos jacarés, do argentino Gustavo Roldán. E fechamos o ano com a tradução direta do russo do fac-símile de O que eu vou ser quando crescer?, um poema visual-concreto que Vladímir Maiakóvski compôs para crianças em 1928!

Apagando sua segunda velinha de vida agora em dezembro (sim, nosso Boitatá é sagitariano <3), o selo promete um 2018 ainda mais intenso. Já entrando no clima do Ano Marx, em janeiro publicaremos uma impressionante narrativa visual sobre excertos dos Manuscritos econômico-filosóficos de Marx. Para marcar o Dia Internacional da Mulher, presentearemos as pequenas feministas com uma estreia surpresa muito aguardada. Na sequência, outra preciosidade: uma divertida fábula sobre a chegada do novo irmãozinho, escrita e ilustrada por duas conhecidas personagens do mundo editorial. Teremos também a continuação da coleção Monstro Rosa, de Olga de Díos​ (quem se lembra da simpática Rã de Três Olhos?). Aguardem…!

Eventos

O centenário da Revolução Russa de 1917 foi marcado por uma série de eventos organizados ou apoiados pela editora em todo o país. “Eu diria que, aqui [no Brasil], vocês estão celebrando esta Revolução mais plenamente, com maior entusiasmo e mais calor em seus corações do que na Rússia”, disse a historiadora norte-americana Wendy Goldman durante o mais importante deles, o Seminário Internacional 1917: o ano que abalou o mundo. Realizado em parceria com o Sesc em São Paulo, mobilizou um público de mais de 10 mil pessoas acompanhando a programação presencialmente ou online. A atividade reuniu curso, conferências, debates, mostra de filmes e lançamentos de livros, e foi a maior do gênero sobre o tema no Brasil. Estiveram presentes mais de 30 conferencistas, nacionais e estrangeiros, todos nomes de grande representatividade das ciências humanas, como Tariq Ali, Wendy Goldman, Támas Krausz, Domenico Losurdo, Michael Löwy, Christian Laval, Pierre Dardot, Anita Prestes, José Paulo Netto, Marly Vianna, Osvaldo Coggiola, Maria Lygia Quartim de Moraes e Ruy Braga, dentre muitos outros.

Além de apoiar a vinda ao Brasil de autores internacionais destacados, como Angela Davis, Judith Butler, Boaventura de Sousa SantosLeonardo Padura, Guido Liguori, Michael Heinrich e Antonella Muzzupappa, entre outros, a editora encabeçou a organização da terceira edição do já célebre Salão do Livro Político, que, sediado este ano pelo Teatro Tuca, contou com conferência da ex-presidenta Dilma Rousseff em sua abertura.

Prêmios

Este ano, dois de nossos livros receberam prestigiosos prêmios. O livro Caio Prado Jr.: uma biografia politica, de Luiz Bernardo Pericás, que já havia rendido ao seu autor o Troféu Juca Pato de Intelectual do Ano, levou este ano o Prêmio Jabuti (CBL) de melhor Biografia. A obra Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças, de Raquel Rolnik, ganhou o Premio Rio de Literatura na categoria “Ensaio”.

Curiosidade

Pssica, do paraense Edyr Augusto, será adaptado ao cinema, sob o comando do direitor Quico Meirelles. As filmagens começam em 2018!


Até breve! Boas festas!

Equipe Boitempo

Allan Jones, Ana Carolina Meira, Ana Yumi Kajiki, André Albert, Artur Renzo, Bibiana Leme, Camila Rilo, Eduardo Marques, Elaine Ramos, Frederico Indiani, Heleni Andrade, Ivam Oliveira, Isabella Barboza, Isabella Marcati, Ivana Jinkings, Livia Campos, Kim Doria, Marlene Baptista, Maurício Barbosa, Thaís Barros, Tulio Candiotto e Renato Soares.

21 comentários em O que a Boitempo está preparando para 2018

  1. Tentem lançar a obra póstuma do István Mészáros, Para além do Leviatã (o que conseguirem pelo menos).

    Curtir

  2. Com todo respeito ao trabalho essencial realizado pela Boitempo no espaço editorial brasileiro, é espantosa a recorrência dos mesmos nomes… O anúncio de autores do ano que vem soa como reprise de qualquer outro ano. Falta vontade de sair da bolha do mesmo grupo (os maldosos diriam panelinha). Para ficar só em um nome cuja falta total de traduções e edições no Brasil é absurda, inclusive se comparamos com nossos vizinhos sulamericanos, e ainda mais no “ano Marx” por que não traduzem algo de Etienne Balibar? Tantos autores e autoras se dedicam a pensar criticamente o legado marxista, por que sempre apostar nos mesmos nomes/vertentes? A Boitempo anda boa de marketing e design gráfico mas pobre de ideias, apostas e consistências…

    Curtir

  3. Vão distribuir os lucros igualmente entre os operários da editora?

    Curtir

    • Vicente The Thinker // 18/12/2017 às 1:30 pm // Responder

      So quando for implantado pelos trababalhadores, o que nao é seu caso, a sociedade comunista.

      Curtir

      • Quando for implantado os campos de concentração pro idiotas úteis como você? Se vc conhece a história do comunismo em todos os países q foi implantado (vc vai dizer q o real comunismo nunca foi implantado, já conheço a desculpa rs) os primeiros a ir pros campos de trabalhos forçados são os trouxas como vc.

        Curtir

        • Vicente The Thinker // 28/12/2017 às 4:18 pm // Responder

          Pois vossa excelencia é a prova viva da ignorancia em materia de Historia pois como hoje qualquer idiota como vossa excelencia pode tomar o poder ou golpear o pouco de democracia em nome de qualquer coisa ate mesmo do comunismo e idiotas como vossa excelencia achar pois imbuido de total ignorancia achar que é comunismo os estados totalitarios stalinistas e mais recentemente o nortesulcoreano, alem de cuba, vietnam ou china, jamais na sua poltrona tera capacidade cognitiva ou mesmo critica para saber o que é comunismo .

          Curtir

  4. Os PeTralhas “ACHAM”:
    — Mãããe!
    — O que meu filho?!
    — Mãããe, eu acho.
    — Acha, meu filho?…
    — Acho sim, mãe. E ponto final.
    — tá bom, meu filho. Agora vai tomar seu leitinho quente, tá, filho?
    *
    Achismo.

    Curtir

    • Vicente The Thinker // 18/12/2017 às 1:33 pm // Responder

      Os Petralhas nunca foram socialistas, sem falar em comunista, vais estudar a politica revolucionaria, lia Marx, Engels, Lenin e Trotsky ao menos antes de falar em bobabens, a saida para o Brasil é a Revolucao Comunista em ambito Interancional com lideranca coletiva dos trabalhadores, sem os desvios stalinistas, aprendemos com o passado para construirmos o futuro agora.

      Curtir

  5. Vicente The Thinker // 18/12/2017 às 1:29 pm // Responder

    Feliz Ano Novo para a equipe da Primorosa Boitempo, aguardo ansioso os novos lançamentos em 2018, nao se esquecam do volume 4 de O Capital que trata das Teorias da Mais-valia. Um forte abraço e Viva O ANO MARX.

    Curtir

  6. Manuel Soares // 23/12/2017 às 9:09 pm // Responder

    Louvável o trabalho da Boitempo ! Poderia avançar mais. Aguardamos a publicação de “A destruição da razão”, de Lukács. A vasta obra de Domenico Losurdo, um dos marxistas mais criativos e lúcidos da atualidade, ainda carece da tradução de alguns títulos inéditos no Brasil. “Hegel e la libertà dei moderni”, bem como o recente trabalho que enfoca o marxismo ocidental são dois livros essenciais. Então, força Boitempo….

    Curtir

  7. Na minha coleção de livros o que não falta são livros da Boitempo. Sempre indiquei a todos que prezam por uma leitura completa e de qualidade.

    Curtir

  8. Vicente The Thinker // 09/01/2018 às 5:17 pm // Responder

    Tambem recomendo.

    Curtir

  9. Reginaldo Vitalino de Lima filho // 11/01/2018 às 12:15 pm // Responder

    Precisamos urgentemente da publicação de “A Destruição da Razão” de Lukacs!

    Curtir

  10. Podem vir e quebrar a nossa doce Porto Alegre: // 14/01/2018 às 9:29 pm // Responder

    Quanto a lula, o chefão-mor do petralhismo: Pode vir, petralhas!
    Não temos medo. Pode vir e quebrar a doce Porto Alegre [dia 24 de janeiro].
    Desde que o chefe dos Petralhas se dane.
    Depois a gente arruma e conserta o patrimônio da cidade.
    Vem!, que aqui tem macho e homem de verdade.
    Quanto a você — militante do petralhismo – é vagabundo.
    Seu chefe e dilma, ambos são grotões, barangões, de mau gôsto,
    Kitsch, primitivos e trogloditas.
    Ø
    Compare você mesmo — bregão — com o brilhante e versátil Bruce Dickinson.
    O chefão lula não tem nada sábio, de alto valor histórico, admirável. É tosco.
    Fico aqui, imediatamente, a pensar em compará-lo com alguém hábil, versátil
    e flexível, admirável devido a sábia versatilidade. Veio-me à cabeça BRUCE DICKINSON,
    vocal singular da banda de rock inglesa [«Iron Maiden»]: é exímio musicista e PILOTO de Boeing.
    E lula? Cite 2 versatilidades dele, por favor. Há?…

    Curtir

  11. Renan Macedo // 16/01/2018 às 9:18 pm // Responder

    Estamos ansiosos par saber o calendário de atividades e lançamentos!! Quando saberemos de tudo? kkk

    Curtir

  12. Leandro Pereira Peredo // 20/03/2018 às 1:45 pm // Responder

    ola,

    Ja temos um calendario para algumas das conferencias?

    Obrigado.

    Curtir

  13. Aleguerreiro // 28/03/2018 às 6:33 pm // Responder

    Vcs não acham que deveriam dar atenção para mais de um tipo de literatura, só para dar uma arejada…

    Curtir

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. O que a Boitempo está preparando para 2018 – Blog da Boitempo | BRASIL S.A
  2. Novo livro de Leonardo Padura com detetive Mario Conde sai pela Boitempo – Literatura Policial
  3. Prepare-se: está chegando o Dia M 2018 – Blog da Boitempo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: