Mais do mesmo, ou, A desmoralização geral da República

izaías mais do mesmoPor Izaías Almada.

Fevereiro de 2015. Emissoras de televisão e blog de notícias, no início de uma manhã chuvosa na cidade de São Paulo, anunciam que a Polícia Federal deu início à centésima segunda fase da Operação Lava Jato. A operação, chamada de “O primeiro milho é dos pintos” tem sua ação executada nos estados do Maranhão, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo e o objetivo é averiguar, entre outras delações apresentadas pelo doleiro “Gente Fina” se a vigésima quinta empresa do ex-ministro José Dirceu é quem mandava distribuir o milho.

Frases: parte do voto da ministra Carmen Lúcia durante o julgamento da Ação Penal 470: “… não existem provas contra José Dirceu, mas a literatura jurídica me permite condená-lo”.

Abril de 2015. O ministro Gilmar Mendes, aproveitando-se do feriado da Semana Santa e novamente extrapolando de suas funções como magistrado, deitou falação sobre o Partido dos Trabalhadores, acusando o partido de ser um grupo de meliantes disfarçados de políticos. Em entrevista à imprensa, a que compareceram apenas os repórteres e jornalistas da Rede Globo de Televisão, revistas Época e Veja, e os jornais Globo, Estado de São Paulo e Folha de São Paulo o ministro afirmou que nunca se viu tanta corrupção no país.

Frases: do digno sociólogo e imortal Fernando Henrique Cardoso sobre o atual momento da vida brasileira: “Nunca se roubou tanto no Brasil como agora”. Argh! Quem diria, heim FHC?

Abril de 2015. Segunda quinzena. Termômetros indicam queda de temperatura no sul do país e algumas geadas no interior de São Paulo. O ex-ministro José Dirceu é transformado em réu no décimo oitavo processo movido contra ele. Abatido, o réu caminha ao lado de policiais federais rumo a Ananindeua no Estado do Pará para ser acareado com a filha de uma sua antiga empregada que, supostamente “teria recebido” uma casinha do Bolsa Família por interferência do réu.

Frases: do jornalista Fernando Brito do Blog TIJOLAÇO: ”Onde houver um moralista, há um hipócrita. E, não raro, um corrupto”. Na mosca, tanto nas moscas da direita, quanto nas moscas que se consideram de esquerda.

1º de maio de 2015. Em comemoração ao Dia do Trabalho, a Operação Lava a Jato (ou Lava Jato… ou seria lava o jato… aquele) anuncia a centésima oitava fase da investigação, batizada de “Enxuga gelo”, somente no Estado do Rio Grande Sul, onde as baixas temperaturas de um inverno que se anuncia rigoroso ajudaram a batizar a investigação. Nela, dois varredores de rua da prefeitura de Caxias “teriam encontrado” vários pacotes de dólares dentro de um saco plástico “provavelmente” atirado de um dos apartamentos em frente ao prédio em que foi achado o tal saco, plástico…

Vazou para a imprensa, em particular para jornalistas da Rede Globo de Televisão, revistas Época e Veja, e os jornais: Estado de São Paulo, Folha de São Paulo e O Globo, que neste edifício “teria sido visto” em 2007 o ex-presidente Lula num churrasco ao lado da então ministra Dilma Rousseff e que a carne “teria” sido oferecida por seu filho Lulinha, diretor executivo da Friboi, mas ainda assim com um salário bem menor do que é auferido pelo juiz Moro, que faz e desfaz as leis no Brasil atual.

Frases: Cristo ou Barrabás? O resultado é conhecido de todos…

Junho de 2015. Na segunda semana do mês, novo vazamento de delações do doleiro “Gente Fina”, que desta vez “obriga” ao juiz Moro a pedir novas investigações sobre uma fábrica de fogos de artifício no interior de Minas Gerais. Fotos de agentes da PF em Cordisburgo, de costas e carregando enormes sacolas, “provavelmente cheias de dólares e foguetes cabeça de negro”, devidamente lacradas eram armazenadas ao lado de cinco vans Mitsubishi da Polícia Federal. Especula-se que foi nessa fábrica que o ex-presidente Lula perdeu o dedo mindinho de uma das mãos.

A Operação Traque é tema de capa da revista Veja, que circula nesse final de semana e que traz também, por coincidência, a entrevista de uma deputada federal que pretende apresentar Proposta de Emenda Constitucional, onde todo cidadão maior de 18 anos e que tenha alguma deficiência física não poderá se candidatar a eleições majoritárias para a presidência da república, o que tornaria inelegíveis o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Saci Pererê. A ONG Monteiro Lobato já enviou carta de protesto ao STF e ao Congresso Nacional.

Frases: “O pior analfabeto é aquele que lê a Veja”. Paulo Nogueira do DCM.

Ainda junho de 2015. Três dos maiores empresários da área de fogos de artifício, em decorrência da Operação Traque, foram presos preventivamente pelo período de cinco dias e terão de responder pela prática de caixa 02 e doações para partidos políticos, entre eles o Partido dos Trabalhadores. Os outros partidos não foram citados. Analistas políticos e econômicos avaliam que isso poderá afetar as comemorações das festas juninas e, sobretudo, o show de fogos nas praias do Rio de Janeiro e na Avenida Paulista em São Paulo por ocasião do próximo réveillon.

Num dos computadores apreendidos na operação, segundo informações de um delegado para a imprensa, jornalistas da Rede Globo de Televisão, revistas Época e Veja bem como os jornais Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e O Globo, indicam que empresários chineses, especialistas em fogos de artifício – os chineses inventaram a pólvora no século IX – “estariam” por trás de algumas irregularidades fiscais, o que poderia, inclusive, lançar luzes sobre a criação do Banco dos BRICS e a origem do capital de 100 milhões de dólares para sua constituição. Segundo analistas políticos e econômicos, a Operação Traque pode prejudicar a construção da ferrovia que ligará o Atlântico ao Pacífico pelo interior da América do Sul, investimento chinês.

Frases: do ministro Luiz Fux durante o julgamento da Ação Penal 470: “A verdade é uma quimera”.

Julho de 2015. Primeira quinzena. Sem ter sido posto em liberdade, o ex-ministro José Dirceu é preso pela décima quinta vez, sendo transferido de Ananindeua, no Pará, para a capital do Estado de Rondônia, Porto Velho, onde “se supõe” ter havido lavagem de dinheiro na construção da Ferrovia Madeira/Mamoré. Seu advogado alegou ser impossível tal afirmação, pois a ferrovia teve sua construção iniciada em finais do século XIX. Agentes da PF no norte do país disseram que estavam cumprindo ordens do Ministério Público Federal e que não entravam nos pormenores históricos.

Jornalistas e analistas da Rede Globo de Televisão e dos jornais Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo confirmam que, “de fato”, a ferrovia foi construída por engenheiros e trabalhadores norte americanos no seu primeiro trecho por volta de 1870/90 e que isso poderia abrir um processo contra o Brasil por parte da justiça americana. Os casos FIFA e PETROBRÁS “teriam” criado jurisprudência a respeito.

Frases: “A guerra contra os privilégios nunca terá fim. Sua próxima grande campanha será a guerra contra os privilégios especiais dos desprivilegiados”, H.L Mencken, jornalista norte americano.

Julho de 2015. Segunda quinzena. Domingo de sol. Manifestações em algumas cidades brasileiras contra a corrupção e pelo “impeachment” da presidente Dilma Rousseff, suspeita de dar pedaladas próximas ao palácio da Alvorada em Brasília. Numa dessas pedaladas ela teria ajudado a um ciclista que se sentiu mal, servindo-se ilegalmente – para isso – de uma ambulância do SUS fora do horário de expediente. O Ministério Público Federal irá analisar o fato e, “se for o caso”, mandar instaurar inquérito a respeito.

O incidente pode levar ao “impeachment” da presidente, se ficar comprovado que ela não usava capacete como determinam as leis do trânsito. Os manifestantes exigiam o fim da corrupção… Dos outros. E pediam a volta dos militares, das torturas e dos julgamentos de exceção, incitados pelo famoso julgamento da Ação Penal 470 e pelas inúmeras prisões ilegais pelo Brasil. Convidado a se manifestar sobre a falta do capacete, o diretor do DENATRAN, se recusou a dar declarações. Se o caso chegar ao STF, o ministro Gilmar Mendes será sorteado para relator.

Frases: “Se a indicação de Gilmar Mendes vier a ser aprovada pelo Senado, não há exagero em afirmar que estarão correndo sério risco a proteção dos direitos no Brasil, o combate à corrupção e a própria normalidade constitucional”. Dalmo Dallari em 2002, no final do governo de FHC.

Setembro de 2015. A operação Lava Jato lança sua centésima octogésima fase, dessa vez nos estados de Minas Gerais e Pernambuco, denominada “Me engana que eu gosto” para continuar combatendo a corrupção no Brasil. Segundo “vazamentos” para a imprensa: Veja e Época, Jornal Nacional e os jornais, Folha, Estadão e Globo, a estratégia de toda a operação é chegar aos familiares dos delatores Calabar e Silvério dos Reis, que “estariam” de posse de documentos que “restabeleceriam” a verdade histórica sobre as acusações que pesam sobre eles nos episódios da Invasão Holandesa e da Inconfidência Mineira. Como se sabe, Calabar já considerava o Brasil português uma merda e alguns dos comerciantes em Vila Rica, entre eles Silvério dos Reis, queriam se livrar da Coroa Portuguesa que não lhes perdoava a sonegação de impostos, aumentando-os inclusive.

Segundo o MPF, pode estar aí a origem da corrupção brasileira, particularmente a do Partido dos Trabalhadores. Outros partidos não foram citados.

Frases: “A mídia brasileira sempre foi contra os trabalhistas: foi contra Getúlio Vargas, foi contra Jango, contra Brizola e agora é contra o Lula e a Dilma. O PIG agora é mais raivoso, mais odiento, substitui os partidos de oposição… E a democracia brasileira é refém do PIG”. Paulo Henrique Amorim no seu blog Conversafiada.

Setembro de 2015. Analistas políticos dos jornais Estadão, Folha e Globo, e âncoras do jornalismo da Venus Platinada, prevêm para o mês de outubro um embate decisivo entre o governo e os golpistas, digo, a oposição e seus porta-vozes, com os times já escalados para a refrega. Indeciso, o governo pensa em algumas alterações de última hora.

Embora a tática dos antigovernistas seja anunciada há meses, tudo indica que preparam alguma surpresa para o governo. A torcida governista anda meio desacorçoada com o desempenho de seu time, mas promete fazer muito barulho nas vésperas do confronto. Em meio a essa tensão no Brasil, poucos se deram contas de que a Volkswagen pediu desculpas a milhões de consumidores pelo mundo que foram enganados pela medida do nível de poluição de seus motores diesel. In dúbio pro rata…

Frases: “O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor: ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele nos mantém em dia com a ignorância da comunidade”. Oscar Wilde

***

Izaías Almada, mineiro de Belo Horizonte, escritor, dramaturgo e roteirista, é autor de Teatro de Arena (Coleção Pauliceia da Boitempo) e dos romances A metade arrancada de mim, O medo por trás das janelas e Florão da América. Publicou ainda dois livros de contos, Memórias emotivas e O vidente da Rua 46. Como ator, trabalhou no Teatro de Arena entre 1965 e 1968. Colabora para o Blog da Boitempo quinzenalmente, às quintas-feiras.

2 comentários em Mais do mesmo, ou, A desmoralização geral da República

  1. A perfidiá juridico midiático não terá fim até que os calemos, acusar sua maledicência indefinidamente sem ação decisiva é indignação vazia!

    Curtir

    • izaias almada // 25/09/2015 às 15:09 // Responder

      Concordo com você, Ricardo. Nos grandes embates políticos brasileiros do século XX e agora do XXI, a esquerda fala muito e age pouco. Veja Estado Novo, o suicídio de Vargas, o isolamento de Brizola e agora com os governos de Lula e Dilma.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: