gramsci

Gramsci e o idealismo radicalmente crítico

17/01/2022 // 1 comentário

Marcos Del Roio comenta "Homens ou máquinas?", coletânea de artigos de Antonio Gramsci, de 1916 a 1920, nos quais o revolucionário sardo já adotava uma postura radicalmente crítica, ainda que com traços de idealismo. [...]

Você conhece Antonio Gramsci?

08/12/2021 // 1 comentário

"Homens ou máquinas?", de Antonio Gramsci, é o livro de dezembro do Armas da crítica, o clube do livro da Boitempo. Fizemos uma seleção de conteúdos para quem ainda não conhece ou quer se aprofundar no pensamento do marxista sardo. [...]

Os intelectuais e a decadência ideológica

14/09/2020 // 1 comentário

Mauro Iasi / "O que parece incomodar uma certa intelectualidade conservadora que ainda procura preservar seu verniz de sofisticação, é que hoje essa sua função pode muito bem ser exercida por um conjunto de desqualificados e toscos representantes de um conservadorismo tacanho: Mainardis, Olavos, Constantinos et caterva." [...]

A nova biografia de Gramsci

26/08/2020 // 2 comentários

"No momento em que governos autoritários e seus sustentáculos civis reacionários reemergem na história, a biografia intelectual de um militante político que se dedicou inteiramente à luta contra todo tipo de dominação, especialmente contra o fascismo, torna-se incontornável." [...]

Os prismas de Gramsci

22/01/2020 // 1 comentário

Por Anita Helena Schlesener / "A importância deste livro se mede no contraponto da crise orgânica que se vive no Brasil e que se manifesta no descrédito das instituições políticas, no desrespeito ao Estado de direito formulado pela Constituição de 1988 e na afronta à população trabalhadora com medidas que agravam sua situação social e violam todos os seus direitos." [...]

Gramscismo: uma ideologia da extrema-direita

08/05/2019 // 7 comentários

Por Lincoln Secco / "Não existe 'gramscismo' em Gramsci. Ele é a auto-descrição dos seus próprios criadores. A caricatura do pensamento do outro existe porque as teorias conspiratórias são basicamente fetichistas: agarram-se a 'fatos' e descrições sumárias de comportamentos e indivíduos que personificariam a 'estratégia' do inimigo. Por isso, não podem jamais conceber a complexidade do pensamento adversário. Seu modus operandi consiste no uso de técnicas ideológicas de penetração cultural nos meios de comunicação para difundir a ideia de que há um núcleo conspiratório 'marxista cultural', de forma semelhante à conspiração 'judaico-bolchevique' do passado. Os 'gramscistas' são eles mesmos." [...]