Cultura inútil | Casamento: o que as mulheres pensam dele!

De Simone de Beauvoir a Lady Gaga, passando por Rita Lee, Agatha Christie e Chimamanda Adichie, Mouzar Benedito faz uma seleção de frases sobre o que elas pensam do casamento.

ARTE: DAVID PLUNKERT

Por Mouzar Benedito

Logo que comecei a escrever sobre cultura inútil no blog da Boitempo, publiquei uma coluna com o título “Sobre o amor e o casamento”, com uma pequena introdução e depois uma seleção de frases intitulada “o que eles disseram”. Uma leitora protestou, com razão. “E o que elas disseram?”, perguntou, me questionando. Realmente pareceu algo muito machista. Hoje teria até uma desculpa, mera desculpa, para fazer isso: o tão falado “lugar de fala”, que acho mais um exagero do “politicamente correto”.

Mas desde que fui questionado fiquei pensando em fazer uma seleção de frases só de mulheres, sobre casamento e marido. Ah, abri exceção para alguns provérbios estrangeiros e ditados populares, que poderiam ter sido criados por mulheres ou por homens. Claro que evitei colocar frases muito melosas, quis mostrar que a ironia ou crítica em relação à instituição casamento não é coisa apenas masculina. É feminina também. Vamos às frases…

Simone de Beauvoir: “Não são as pessoas que são responsáveis pelo falhanço do casamento, é a própria instituição que é pervertida desde a origem”.

***

Simone de Beauvoir, de novo: “Entre as prostitutas e as que se vendem pelo casamento, a única diferença consiste no preço e na duração do contrato”.

***

Rita Lee: “Três etapas de um casamento: 1. loucos um pelo outro; 2. loucos um com o outro; 3. loucos por causa do outro”.

***

Carmen Sylva: “Num casamento, as mulheres choram e os homens riem”.

***

Provérbio polonês: “A mulher chora antes do casamento, o homem depois”.

***

Lady Gaga: “Você quer casar com alguém que te ame, te dê carinho, e que sempre esteja ao seu lado? Case com a sua mãe”.

***

Sophie Arnould: “O amor é o mais agradável episódio do romance da vida, e o casamento o apagador do amor”.

***

Sophie Arnould, de novo: “O que deve consolar um marido enganado pela mulher é que fica sendo sempre o dono de um prédio do qual os outros têm apenas o usufruto”.

***

Madame de Staël: “O casamento é o egoísmo a duo”.

***

Clara Luce: “O fardo do casamento é tão pesado que são precisos dois para carregá-lo, e, por vezes, três”.

***

Jilly Cooper: “O homem é um animal doméstico que, se tratado com firmeza e ternura, pode ser treinado para fazer muitas coisas”.

***

Marilyn Monroe: “Esperei extrair do meu casamento com Joe, amor, afeto e compreensão. Mas tudo naufragou num mar de indiferença”.

***

Marylin Monroe, de novo: “Maridos são bons amantes, principalmente quando estão traindo suas mulheres”.

***

Elinor Glyn: “Um homem poderia ser o melhor amante de sua mulher  – se fosse casado com outra”.

***

Provérbio chinês: “O amor é cego, mas o casamento lhe devolve a visão”.

***

Ana Carolina: “Coração e cérebro vivem sob o mesmo teto num casamento sem amor… E cada vez que o coração celebra uma vitória sobre o cérebro o cotovelo se prepara para doer”.

***

Lou Salomé: “Casamento? Não, não para mim! Oh! Talvez um casamento de meio-expediente, isso poderia servir-me, mas nada que me prendesse demais”.

***

Elisa Lucinda: “De alguma maneira hoje quero sempre casar com você… Para mim este amor é diferente, não é de papel passado. É de papel presente”.

***

Provérbio italiano: “O amor é um sonho, e o casamento um despertador”.

***

Agatha Christie: “O arqueólogo é o melhor marido que uma mulher pode ter; quanto mais velha ela fica, mais interesse ele tem por ela”.

***

Agatha Christie, de novo: “A coisa mais razoável que já foi dita sobre o casamento e sobre o celibato é esta: ‘Faça o que quiser, você vai se arrepender’”.

***

Ditado popular: “Casarás e amansarás”,

***

Shelley Winters: “Todos os casamentos são felizes. Tentar viver juntos depois é que causa os problemas”.

***

Shelley Winters, de novo: “Quando estiver a fim de se casar com um sujeito, convide a ex-mulher dele para almoçar”.

***

Jane Austen: “A felicidade no casamento é uma questão de sorte”.

***

Joan Rivers: “Confie em seu marido, adore o seu marido e passe o máximo que puder para o seu próprio nome”.

***

Zelda Popkin: “Todo marido tem a infidelidade que merece”.

***

Mae West: “O casamento é uma grande instituição, mas eu não estou preparada para instituições”.

***

Mae West, de novo: “O casamento é uma grande instituição. Não sei por que as famílias estão acabando com ela”.

***

Tati Bernardi: “Do nada eu tive vontade de perguntar se ele acreditava em casamento, mas fiquei com medo de ele me achar uma dessas loucas carentes em busca do homem da vida. Fiquei com medo de ele ver a verdade. Mas olhei para ele e ele me disse: você acredita em casamento?”

***

Provérbio árabe: “Levaram o asno para a festa de casamento: ele começou a zurrar e pedir que o carregassem com os fardos de sempre”.

***

Outro provérbio árabe: “Se fazer sociedade fosse bom, cada dois se casariam com uma mulher”.

***

Leila Diniz: “Não sou contra o casamento. Mas, muito mais do que representar ou escrever, ele exige ser bom”.

***

Chimamanda Ngozi Adichie: “O feminismo não diz que você não pode casar e ter filhos, e sim que você deveria ter uma escolha. O feminismo quer que as mulheres escolham”.

***

Marlene Dietrich: “Muitas mulheres não sossegam enquanto não mudam o seu homem. E, quando conseguem, ele perde a graça”.

***

Barbra Streisand: “Por que uma mulher dá duro durante dez anos para mudar os hábitos de seu marido e depois se queixa de que ele não mais o homem com quem ela se casou?”

***

Avril Lavigne: “As pessoas diziam… ‘Oh, vamos ter um casamento rock n’ roll, gótico’. Mas no mesmo tempo eu pensava: ‘Eu sempre sonhei com meu casamento desde que era uma menina pequena. Eu tenho que vestir o vestido branco’. Eu queria ser uma princesa, ok?”.

***

Rita Rudner: “Eu adoro estar casada. É ótimo encontrar essa pessoa especial a quem você quer irritar o resto da vida”.

***

Carrie Snow: “Por que casar e infernizar a vida de um homem quando posso continuar solteira e infernizar a vida de milhares?”.

***

Ditado popular: “Matrimônio, praça sitiada: os de fora querem entrar, os de dentro querem sair”.

***

Agustina Bessa-Luis: “Casamento – é muito difícil conhecer uma pessoa com quem se vive muito próximo, porque há um fenômeno de desfocagem, porque se está tão próximo não há uma perspectiva para conhecer, só para amar”.

***

Gloria Steinen: “Uma mulher sem um homem é igual a um peixe sem uma bicicleta”.

***

Gloria Steinen, de novo: “Não consigo me acasalar em cativeiro”.

***

Gloria Steinen, mais uma vez: “Um marido é apenas um amante com uma barba de dois dias, um colarinho sujo e queixando-se o tempo todo de enxaqueca”

***

Ditado popular: “Antes marido feio e laborioso, que bonito e preguiçoso”.

***

Hilda Roxo: “Sê companheira, ensina o que sabes de aproveitável e aprende sempre para ensinares, pois terá que dar lição a cada momento sobre tudo”.

***

Helen Rowland: “Quando se vê com quem algumas mulheres se casaram, dá para entender como elas odeiam ter de trabalhar para viver”.

***

Helen Rowland, de novo: “Uma mulher leva vinte anos para fazer de seu filho um homem – e outra mulher vinte minutos para fazer dele um tolo”.

***

Helen Rowland, mais uma vez: “Um marido é o que resta do amante, depois que se extraiu o nervo”.

***

E mais Helen Rowland: “Quando uma garota se casa, está trocando a atenção de muitos homens pela desatenção de um só”.

***

E dá-lhe, Helen Rowland: “O casamento é a única coisa que dá a uma mulher o prazer de uma companhia e a perfeita sensação de solidão ao mesmo tempo”.

***

Provérbio jamaicano: “O casamento tem dentes, e como dói a mordida”.

***

Maitê Proença: “Chega uma hora na vida em que o melhor marido é o ex-marido. E vice-versa”.

***

Danuza Leão: “O homem que sustenta uma mulher não pode cobrar nada dela; e a mulher que se deixa sustentar não pode cobrar nada dele. Ela tem todo o direito de fazer o que quiser à tarde e ele, à noite”.

***

Sidonie-Gabriele Colette: “Os defeitos dos maridos muitas vezes são causados pelo excesso de virtudes das suas esposas”.

***

Ditado popular: “Antes casada arrependida que freira aborrecida”.

***

Dra. Joyce Brothers: “O casamento não se compõe apenas de uma comunhão espiritual e de abraços apaixonados; compõe-se também de três refeições por dia, lavar a louça e lembrar-se de pôr o lixo pra fora”.

***

Adele Rogers St. Johns: “Há tão pouca diferença entre maridos que sai mais em conta ficar mesmo com os primeiros”.

***

Shirley McLaine: “A melhor maneira para convencer a maioria dos maridos a fazer algo é insinuar que ele está velho demais para fazer isso”.

***

Ditado popular: “É bem casada a que não tem sogra nem cunhada”.

***

Cher: “O problema de certas mulheres é que ficam excitadas por qualquer bobagem – e aí se casam com elas”.

***

Linda Porter (respondendo a pergunta se era a favor do sexo antes do casamento): “Por que não? Desde que não atrase a cerimônia”.

***

Zsa Zsa Gabor: “Maridos são como fogo: extinguem-se, se não forem atiçados”.

***

Zsa Zsa Gabor, de novo: “Um homem nunca está completo até que se casa. A partir daí, está acabado”.

***

Lady Astor: “Eu me casei abaixo de mim. Todas as mulheres fazem isso.”

***

Jean Kerr: “Casar-se é como comprar uma coisa que se passou anos admirando na vitrine. Você pode adorar a compra e só então descobrir que ela não combina com o resto da casa”.

***

Marília Gabriela: “Ele transa bem? Leva você para comer bons queijos e bons vinhos? É seu amigo? Então fica com ele. É o máximo que você vai conseguir de um homem”.

***

Provérbio egípcio: “Antes de questionar o bom senso de sua esposa, dê uma olhada em com quem ela se casou”.

***

Clare Boothe Luce: “É ridículo pensar que se pode passar uma vida inteira com uma única pessoa. Três maridos são o que eu chamaria de um número ideal”.

***

Joan Rivers: “Depois de quatro drinques, meu marido se torna um chato. E, depois do quinto, eu desmaio”.

***

Maria Corelli: “Nunca me casei porque nunca precisei. Tenho três bichinhos que, juntos, perfazem um marido: um cachorro que rosna de manhã, um papagaio que fala palavrões o dia todo e um gato que volta de madrugada para casa”.

***
Mouzar Benedito, jornalista, nasceu em Nova Resende (MG) em 1946, o quinto entre dez filhos de um barbeiro. Trabalhou em vários jornais alternativos (Versus, Pasquim, Em Tempo, Movimento, Jornal dos Bairros – MG, Brasil Mulher). Estudou Geografia na USP e Jornalismo na Cásper Líbero, em São Paulo. É autor de muitos livros, dentre os quais, publicados pela Boitempo, Ousar Lutar (2000), em coautoria com José Roberto Rezende, Pequena enciclopédia sanitária (1996), Meneghetti – O gato dos telhados (2010, Coleção Pauliceia) e Chegou a tua vez, moleque! (2021, Editora Limiar). Colabora com o Blog da Boitempo mensalmente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: