Astrojildo Pereira e a fundação do PCB

Fernando Garcia comenta “Formação do PCB”, de Astrojildo Pereira, destacando que o livro é a principal fonte sobre a história, os personagens e as lutas dos primeiros anos do partido. Leitura obrigatória para a compreensão da história política do Brasil.

Fundadores do Partido Comunista, em 1922. De pé, da esquerda à direita, estão: Manoel Cendon, Joaquim Barbosa, Astrojildo Pereira, João da Costa Pimenta, Luís Peres e José Elias da Silva. Sentados, da esquerda à direita: Hermogênio Silva, Abílio de Nequete e Cristiano Cordeiro. Arquivo ASMOB/IAP/CEDEM.

Por Fernando Garcia de Faria

Oriundo da militância anarquista da década de 1910, Astrojildo Pereira foi o principal articulador do congresso de fundação do Partido Comunista do Brasil, em março de 1922. Destacou-se como jornalista em inúmeros periódicos proletários da primeira metade do século XX. E a criação da organização comunista brasileira foi um dos principais temas nas centenas de artigos que escreveu.

Ao longo de anos, sobretudo nos jornais comunistas do período de 1945 a 1961, Astrojildo publicou informações preciosas sobre os bastidores daquela virada política e ideológica que tornara anarquistas em “maximalistas”. Reuniu seus artigos e notas, melhorou a redação de alguns e os publicou, em 1962, sob o título Formação do PCB (1922-1928): notas e documentos.

Astrojildo aborda, neste conjunto de artigos e comentários, as lutas operárias desde os últimos anos do século XIX até a criação das bases que possibilitaram a fundação e os primeiros passos de um partido ligado à Internacional Comunista.

Utiliza como fonte documentos pessoais, diversos periódicos e a própria lembrança de suas experiências como protagonista desse processo histórico, no qual atuou como militante comprometido e intelectual rigoroso – merecem especial atenção as notas sobre dois congressos do PCB em que Astrojildo esteve à frente: o segundo, em 1925, e o terceiro, em 1928-1929. Entre os periódicos utilizados, cabe destacar a revista Movimento Comunista – que veiculou as notícias da fundação do PCB e sua linha política –, e os jornais A Classe Operária e A Nação; ambos dirigidos por ele.

A relação entre o partido e a democracia burguesa é abordada no capítulo sobre o Bloco Operário e Camponês, experiência que construiu uma plataforma eleitoral, uma organização frentista e chegou a eleger parlamentares, apesar da dura perseguição da polícia política.

São, portanto, momentos cruciais da consolidação da corrente comunista no movimento operário brasileiro. O livro Formação do PCB, que em boa hora ganha nova edição, é a principal fonte sobre a história, os personagens e as lutas dos primeiros anos do partido. Leitura obrigatória para a compreensão da história política do Brasil.

***

No ano do centenário de fundação do Partido Comunista Brasileiro (PCB) a Boitempo e a Fundação Astrojildo Pereira relançam um autor fundamental da nossa cultura: Astrojildo Pereira (1890-1965). Principal articulador da fundação do PCB em março de 1922, Astrojildo escreveu ao longo dos anos, para jornais e revistas, uma série de textos sobre os acontecimentos que marcaram a fundação do partido. Em 1962, quando se comemorava os 40 anos da fundação do partido, reuniu os melhores artigos e notas sobre a história da legenda e os publicou com o título Formação do PCB 1922/1928.
 
Nesse conjunto de textos, Astrojildo apresenta as lutas operárias desde os últimos anos do século XIX e a criação das bases que possibilitaram a fundação do partido. Reúne também muitas de suas memórias daqueles anos e uma série de contribuições às revistas Movimento Comunista, A Classe Operária e A Nação, veículos que Astrojildo esteve à frente e colaborava regularmente. A obra traz importantes contribuições históricas sobre a construção do movimento operário brasileiro pela lente de um dos seus principais protagonistas.

“Em Formação do PCB o escritor excelente que é Astrojildo Pereira apresenta a história dos primeiros tempos do partido a que deu o melhor de sua inteligência e de seu trabalho.”
Nelson Werneck Sodré

“Astrojildo era discreto, aberto ao diálogo, sensível às sutilezas e complexidades da realidade humana, admirador de Machado de Assis, jovial, cordato, acessível, indulgente. Em seu modo de ser existia, implicitamente, uma concepção de partido de massas: um partido comunista no qual o homem simples do povo, o trabalhador comum, podia encontrar o seu posto de luta sem se ver submetido a terríveis pressões ‘heroicizadoras'”.
Leandro Konder

“Em 1962, Astrojildo publicou Formação do PCB, nos 40 anos de vida do partido. O livro trazia indicações fundamentais para a pesquisa histórica.”
Marcos del Roio
 

Formação do PCB, de Astrojildo Pereira, tem prefácio de José Antonio Segatto, texto de orelha de Fernando Garcia, imagens do arquivo pessoal de Astrojildo, atualmente preservado pelo Centro de Documentação e Memória (CEDEM) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), e capa de Maikon Nery.

***

Disponível em nossa loja virtual e e-book à venda nas principais lojas do ramo:


Confira a aula Formação do PCB: testemunho histórico-político, do curso 100 anos do PCB: vida e obra de Astrojildo Pereira, com José Luiz Del Roio, Sofia Manzano e mediação de Renata Cotrim, na TV Boitempo:

***
Fernando Garcia é mestrando em História Econômica na USP e assina o texto de orelha de Formação do PCB, de Astrojildo Pereira.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: