Ação, ação, ação | Fernando Meirelles escreve sobre Edyr Augusto

"Edyr entrou para a minha lista de escritores favoritos. É preciso estar ativo para ler e jogar junto. Edyr não julga ninguém, apenas narra. Ação, ação, ação. No fim, você se dá conta de que entrou num universo inesperado.

Ao ler o romance Pssica, há alguns anos, tomei um choque. Fascinado, li sem parar todos os outros livros do autor e ainda comprei os direitos de Pssica para uma adaptação para cinema. Edyr entrou para a minha lista de escritores favoritos.

Agora chegou este Belhell. Belhell é Belém. Imagino. O lado sombrio da cidade que vive nas madrugadas. O livro não conta uma, mas várias histórias. Os personagens parecem decidir seus próprios caminhos à revelia do escritor, é como se fizessem o que têm urgência de fazer e ao autor só restasse correr atrás tomando nota apressado do que é possível. Assassinatos em série, cassinos clandestinos, sexo, muito dinheiro, policiais tentando fazer direito, policiais que mudaram de lado, o amor, o poder, mais sexo.

É muita coisa, então Edyr não perde tempo descrevendo cenários ou personagens. Como num jogo, ele deixa para o leitor o prazer de preencher as lacunas. É preciso estar ativo para ler e jogar junto. Edyr não julga ninguém, apenas narra. Ação, ação, ação. No fim, você se dá conta de que entrou num universo inesperado.

Fernando Meirelles

Sobre Pssica, romance anterior de Edyr Augusto

“A encarnação mais sucinta e perfeita do clichê ‘narrativa vertiginosa’, um trem descarrilhado de assombro e violência no norte profundo do país.” — Daniel Galera, “Dez livros na década”

“O horror repetido e esmiuçado pelas frases curtas e velozes fornece à narrativa um tom viciante, alucinatório, irreal. Mas é bem real. É o Brasil. Sem gelo.” — Ronaldo Bressane, Folha de S.Paulo

“A escrita telegráfica, frenética, criada pelo paraense Edyr Augusto provoca um efeito viciante no leitor.” — Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

“A literatura de Edyr nos seduz pelo que tem de lirismo e pelo que tem de sangue, de força e de vida.” — Marcelino Freire, TV Boitempo

“Além de criar um universo marginal nortista altamente convincente, alcança um apuro formal e uma economia de meios que deixam o leitor atônito ante a avalanche de fatos.” — Wilson Alves-Bezerra, O Globo

Quico Meirelles recebeu Edyr Augusto na sede da produtora O2, em São Paulo, na última quinta-feira, 13 de fevereiro de 2019, para bater um papo sobre a adaptação do romance Pssica às telonas. O longa será a estréia de Meirelles como diretor.

Image may contain: text

A Boitempo e a Mercearia São Pedro convidam para a noite de autógrafos de lançamento do mais novo romance de Edyr Augusto: BelHell que acontecerá durante a abertura da Livraria Gutenberg.

Belhell é Belém, capital paraense, que, mais uma vez, pelas mãos de Edyr Augusto, se vê transformada não em cenário, mas em verdadeiro personagem desse brevíssimo romance urbano. Uma narrativa que dá forma literária às diversas manifestações da violência cotidiana, revelando que o submundo está bem mais próximo do que ousamos imaginar.

* * *

Sessão de autógrafos de BelHell com Edyr Augusto
Segunda-feira, 17 de fevereiro
Horário: 19h00

Livraria Gutenberg (Mercearia São Pedro)
Endereço: Rua Rodesia, 34 – Sumarezinho
São Paulo – SP

Realização: Mercearia São Pedro, Livraria Gutenberg e Boitempo

***

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: