Cultura inútil: Ficar só ou mal acompanhado – o que é melhor?

De Nietzsche a Machado de Assis, passando por Clarice Lispector e Renato Russo, Mouzar Benedito reúne as melhores frases e ditados sobre “solidão”, em coluna especial da série Cultura Inútil.

James Stewart, em fotograma do filme Harvey (1950), dirigido por Henry Koster.

Por Mouzar Benedito.

“O ‘dize-me com quem andas que eu te direi quem és’ não quer dizer nada.
Judas andava com Cristo. E Cristo andava com Judas.”
(Não sei quem disse isso, mas concordo)

Até há quatro ou cinco anos, em quase todos os bares que eu entrasse na Vila Madalena, em São Paulo, muitos dos frequentadores, mais da metade em alguns deles, eram meus amigos ou pelo menos conhecidos.

Hoje, como sempre digo, só os garçons me conhecem.

Muitos que frequentavam os mesmos bares que eu, não frequentam mais nenhum, pelos mais variados motivos. Uns se sentem velhos; outros, doentes; outros; sem dinheiro… e outros foram desta para uma melhor, morreram.

Há quem tenha medo de sair de casa à noite e também quem mudou de ares, pela dificuldade de sobreviver em São Paulo, principalmente em relação ao custo de vida aqui.

O certo é que as companhias da gente vão raleando. Tanto as boas quanto as “más”.

De qualquer forma, o conceito de boa e má companhia não é uniforme. É questão de gosto. Quero distância de certas pessoas que se dizem “de bem”, que querem impor seu suposto bom-mocismo aos outros. Um bom mocismo que muitas vezes é mais um “mau-mocismo”, para o meu gosto. Desses, repito, quero distância. Prefiro a solidão.

Coletei frases sobre companhias (boas e más), sobre solidão (preferência ou medo dela), coisas por aí…

Barão de Itararé: “Dize-me com quem andas e eu te direi se vou contigo”…

* * *

Revisão de um velho ditado: “Antes mal acompanhado do que só”.

* * *

Millôr Fernandes: “Um homem começa a ficar velho quando prefere andar só do que mal acompanhado”.

* * *

Antônio Maria: “É muito melhor estar mal acompanhado do que só. A única vantagem da solidão é poder entrar no banheiro e deixar a porta aberta”.

* * *

Vinícius de Moraes: “Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão”.

* * *

Vinícius, de novo: “Eu não ando só, só ando em boa companhia, com meu violão, minha canção e a poesia”.

* * *

Sartre: “Se você sente solidão enquanto a sós, está em má companhia”.

* * *

Nietzsche: “Todas as companhias são más companhias, a menos que a gente não se cerque de seus iguais”.

* * *

Paul Valéry: “Um homem só está em má companhia”.

* * *

Paul Valéry, de novo: “Deus criou o homem e, vendo que ele não estava sozinho o bastante, providenciou-lhe uma companheira para acentuar sua solidão”.

* * *

Tolstói: “O amor começa quando uma pessoa se sente só e termina quando uma pessoa deseja estar só”.

* * *

Helen Rowland: “O casamento é a única coisa que dá à mulher o prazer de uma companhia e a perfeita sensação de solidão ao mesmo tempo”.

* * *

Tchekhov: “Se tens medo da solidão, não te cases”.

* * *

Martha Medeiros: “A solidão só me dá prazer na medida em que sei que ela é uma escolha. Solidão só dói quando é inevitável”.

* * *

Ditado popular: “Mulher só, faz tudo; duas fazem pouco e três nada”.

* * *

Júlio Ribeiro: “Nada há que tanto desanime o homem como o ter de lugar sem companheiro”.

* * *

Ditado popular: “Quem com cães se deita, com pulgas se levanta”.

* * *

Outra versão do mesmo ditado: “Quem se mistura aos porcos, farelos come”.

* * *

Maquiavel: “Dizem a verdade aqueles que afirmam que as más companhias conduzem os homens à forca”.

* * *

Maquiavel, de novo: “Quero ir para o inferno, não para o céu. No inferno, gozarei da companhia de papas, reis e príncipes. No céu, só terei por companhia mendigos, monges, eremitas e apóstolos”.

* * *

Mark Twain: “Prefiro o paraíso pelo clima, o inferno pela companhia”.

* * *

Ditado popular: “Quando a companhia não é certa, uma vista fechada e outra aberta”.

* * *

Sylvio Abreu (no jornal O Trem Itabirano): “A única saída pra solidão é deixar de ser chato”.

* * *

Ramalho Ortigão: “Eu creio tanto na influência dos maus jantares como na das más companhia na índole dos indivíduos, e adoto para mim esta sentença: ‘Diz-me o que comes, dir-te-ei as manhas que tens’”.

* * *

Jean de La Bruyère: “Se queremos ser estimados, devemos viver com pessoas estimadas”.

* * *

Georg Lichtenberg: “O homem ama a companhia, mesmo que seja apenas a de uma vela que queima”.

* * *

Caio Fernando Abreu: “Eu quero mesmo é alguém que faça meu corpo querer companhia nos momentos em que minha mente insiste pela solidão”.

* * *

Caio Fernando Abreu, de novo: “A solidão às vezes é tão nítida como uma companhia. Vou me adequando, vou me amoldando. Nem sempre é horrível. Às vezes é até bem mansinha. Mas sinto tão estranhamente que o amor acabou. Repito sempre: sossega, sossega – o amor não é para o teu bico”.

* * *

Ditado popular: “Um homem e uma mulher juntos não fazem orações”.

* * *

Clarice Lispector: “Parei de implorar companhia dos outros, se quiser ficar, fica; se não quiser, adeus”.

* * *

Clarice Lispector, de novo: “Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite”.

* * *

Clarice Lispector, mais uma vez: “Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranquilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio”.

* * *

Göethe: “Diz-se da melhor companhia: a sua conversa é instrutiva, o seu silêncio, formativo”.

* * *

Bernardo Guimarães: “A alma solitária é como a fonte do deserto, resguardada dos ventos que no regaço límpido e imóvel guarda fielmente a imagem do arvoredo que o sombreia”.

* * *

Machado de Assis: “A solidão e o silêncio são asas robustas para os surtos do espírito”.

* * *

Machado de Assis, de novo: “Tudo cansa, até a solidão”.

* * *

Érico Veríssimo: “A gente foge da solidão quando tem medo dos próprios pensamentos”.

* * *

Camilo Castelo Branco: “O mais eficaz remédio para um cérebro convulsionado é a solidão”.

* * *

Ditado popular: “A solidão é para o espírito o que a dieta é para o corpo”.

* * *

Berilo Neves: “Um homem sozinho, numa noite de temporal, numa esquina de rua, parado e com aspecto feliz, ou é maluco ou está apaixonado”.

* * *

Tennessee Williams: “Estamos todos condenados à prisão perpétua, em solitária, dentro de nossas próprias peles”.

* * *

Tennessee Williams, de novo: ”Quando todos se sentem sós, é egoísmo continuar só sozinho”.

* * *

Marguerite Youcenar: “Jamais estamos inteiramente só, pois desgraçadamente estamos sempre em nossa própria companhia”.

* * *

Ralph Emerson: “A solidão é impossível, e a sociedade, fatal”.

* * *

Provérbio chinês: “As más companhias são como um mercado de peixes; acabamos por nos acostumar ao mau cheiro”.

* * *

Hemingway: “Mesmo quando estava entre a multidão, estava sempre sozinho”.

* * *

Baudelaire: “Quem não sabe povoar sua solidão, também não saberá ficar sozinho em meio a uma multidão”.

* * *

Mário Quintana: “Sempre me senti isolado nessas reuniões sociais: o excesso de gente impede de ver as pessoas”.

* * *

Quintana, de novo: “Viajar é mudar o cenário da solidão”.

* * *

Zeca Baleiro: “Solidão não cura com aspirina”.

* * *

Marguerite Duras: “Caminhais em direção à solidão. Eu não, eu tenho os livros”.

* * *

Marquês de Maricá: “A companhia dos livros dispensa com grande vantagem a dos homens”.

* * *

Marquês de Maricá: “Na mocidade buscamos as companhias, na velhice evitamo-las: nesta idade conhecemos melhor os homens e as coisas”.

* * *

Gabriel García Márquez: “O segredo de uma velhice agradável consiste apenas na assinatura de um honroso pacto com a solidão”

* * *

Flaubert: “As recordações não povoam nossa solidão, como dizem, ao contrário, faze-a mais profunda!”.

* * *

Einstein: “Talvez algum dia a solidão venha a ser adequadamente reconhecida e apreciado como mestra da personalidade. Há muito que os orientais o sabem”.

* * *

Confúcio: “Sou fadado a, mesmo enquanto caminho na companhia de dois homens quaisquer, aprender com eles. Imito as qualidades de um, os defeitos do outro, corrijo-os em mim mesmo”.

* * *

Philip Chesterfield: “Entra no tom da companhia em que estás”.

* * *

Padre Antônio Vieira: “Se não quero fazer companhia, arrisco-me a ficar só. Se quero ser amigo de todos, arrisco-me a ter todos por inimigos”.

* * *

Walt Whitman: “Aprendi que é suficiente estar com aqueles de quem gosto”.

* * *

Fernando Pessoa: A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo”.

* * *

Carlos Drummond de Andrade: “Há certo gosto em pensar sozinho. É ato individual, como nascer e morrer”.

* * *

Marisa Monte: “Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho. / Vivo tranquilo, a liberdade é quem me faz carinho”.

* * *

Mauro Santayama: “Educação para a vida deveria incluir aulas de solidão”.

* * *

Lord Byron: “Na solidão é quando a gente está menos só…”.

* * *

Stendhal: “Pode-se adquirir tudo na solidão, menos o caráter”.

* * *

Schopenhauer: “A solidão é o destino de todos os espíritos excepcionais”.

* * *

Schopenhauer, de novo: “A ignorância só degrada o homem quando se encontra em companhia da riqueza”.

* * *

François La Rochefoucauld: “A virtude não iria tão longe se a vaidade lhe não fizesse companhia”.

* * *

Rousseau: “É sobretudo na solidão que se sente a vantagem de viver com alguém que saiba pensar”.

* * *

Giacomo Leopardi: “Nada é mais raro no mundo que uma pessoa habitualmente suportável”.

* * *

Rainer Maria Rilke: “Uma única coisa é necessária: a solidão. A grande solidão interior. Ir dentro de si e não encontrar ninguém durante horas, é a isso que preciso chegar. Estar só, como a criança está só”.

* * *

Ezra Pound: “Toda a arte começa na insatisfação física (ou na tortura) da solidão e da parcialidade”.

* * *

Madame de Staël: “A consciência é uma pequena lanterna que a solidão acende à noite”.

* * *

Cecília Meireles: “A minha infância de menina sozinha deu-me duas coisas que parecem negativas, e foram positivas para mim: ‘silêncio e solidão’”.

* * *

Paul Valéry: “Há momentos infelizes em que a solidão e o silêncio se tornam meios de liberdade”

* * *

Thomas Mann: “A solidão mostra o original, a beleza ousada e surpreendente, a poesia. Mas a solidão também mostra o avesso, o desproporcionado, o absurdo e o ilícito”.

* * *

Francis Bacon: “Não há solidão mais triste do que a do homem sem amizades. A falta de amigos faz com que o mundo pareça um deserto”.

* * *

Amyr Klink: “Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá sofrer de saudade, mas não estará só”

* * *

Émile-Augusto Chartier: “É, sem dúvida, próprio do homem enganar-se na escolha das companhias, mas também o é não dar o braço a torcer”.

* * *

Marilyn Monroe: “Prefiro a tranquilidade da solidão à decepção de uma má companhia”.

* * *

Marilyn Monroe, de novo: “Você já esteve em uma casa com 40 quartos? Bem, então multiplique minha solidão por 40”.

* * *

Renato Russo: “Digam o que quiserem, o mal do século é a solidão”.

* * *

Nelson Rodrigues: “A companhia de um paulista é a pior forma de solidão”.

* * *

Victor Hugo: “Todo o inferno está contido nesta única palavra: solidão”.

* * *

Nietzsche: “Não ouse roubar a minha solidão, se não fores capaz de me fazer real companhia”.

* * *

Tati Bernardi: “Pra ficar do meu lado tem que ser melhor que minha própria companhia”.

* * *

Eu:

“Mal a noite começa,
Arrumo companhia
Mas ela dorme depressa”

* * *

Guimarães Rosa: “Eu estou só. O gato está só. As árvores estão sós. Mas não o só da solidão: o só da solistência”.

***

Mouzar Benedito, jornalista, nasceu em Nova Resende (MG) em 1946, o quinto entre dez filhos de um barbeiro. Trabalhou em vários jornais alternativos (Versus, Pasquim, Em Tempo, Movimento, Jornal dos Bairros – MG, Brasil Mulher). Estudou Geografia na USP e Jornalismo na Cásper Líbero, em São Paulo. É autor de muitos livros, dentre os quais, publicados pela Boitempo, Ousar Lutar (2000), em co-autoria com José Roberto Rezende, Pequena enciclopédia sanitária (1996), Meneghetti – O gato dos telhados (2010, Coleção Pauliceia) e Chegou a tua vez, moleque! (2017, e-book). Colabora com o Blog da Boitempo quinzenalmente, às terças. 

3 comentários em Cultura inútil: Ficar só ou mal acompanhado – o que é melhor?

  1. Olá Mozart,

    Se não estou enganado, e frequentemente me engano, está frase é de Millor Fernandes, ou, como também ele fazia frequentemente, pegou de alguém e usou.

    abraços

    Mauro Iasi

    Curtir

  2. José Antonio Bacchin // 23/11/2019 às 2:33 pm // Responder

    Salve Mouzart, amigo. Beleza !!!!! Tem aquele lance de estar só…e mal acompanhado.
    Abração !!!! espero que ainda nos vejamos nesta.

    Zé Bacchin

    Curtir

  3. Então grande Mouzar Benedito, comentei com colega de futebol da Pelada do Parque , ontem, sobre essas frases . Gostou muito e como ,e, como bom caipira de Botelhos MG, respondeu –“ Ara Roza !!!! carece burrecê não !!!…..sulidão é coisa di veíce memo …..nói véio dispois di acabada a tesão …o restinhu di bão somi tudo !!! fica só o ruim memo. ´´ Anssim bamu jogá bola qui é mió….´´,…. ´ Abraços .

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: