Friedrich Engels: independente, original e vanguardista

Felipe Cotrim comenta “Esboço para uma crítica da economia política e outros textos de juventude”, frisando o papel fundamental do jovem Friedrich Engels na formulação de muitos dos pressupostos da história social e urbana, da crítica à economia política, das crises cíclicas do capitalismo, da revolução social e do comunismo.

Por Felipe Cotrim

Se levarmos em conta os estudos e as publicações europeias, a obra de juventude de Friedrich Engels ainda é pouco conhecida no Brasil. Isso se deve tanto à carência de traduções profissionais e reedições das poucas versões em português quanto ao próprio tratamento que Engels deu a ela na maturidade, desincentivando sua publicação por considerá-la obsoleta e saturada de erros – para não mencionar as interferências políticas e ideológicas que sofreu durante o século XX.

O leitor familiarizado com o marxismo não encontrará em Esboço para uma crítica da economia política e outros textos de juventude um Engels necessariamente novo, pois muitos dos temas aos quais ele se dedicou na maturidade intelectual e política estão presentes em seus escritos da década de 1840, tais como a Revolução Industrial, a exploração do trabalho e da natureza pelo capital, a filosofia alemã, a política operária e a militância comunista. Mas, certamente, se surpreenderá quem ainda o considera um coadjuvante da obra de Marx. Além do caráter independente, original e, até mesmo, vanguardista de seus textos, o leitor poderá conhecer o papel fundamental de Engels na formulação de muitos dos pressupostos da história social e urbana, da crítica à economia política, das crises cíclicas do capitalismo, da revolução social e do comunismo.

Os escritos do jovem Engels podem ser lidos como exercícios literários em que ele desenvolveu e lapidou sua capacidade de observação e descrição da geografia e da natureza, das cidades e dos tipos sociais que as habitam, dos grandes debates filosóficos e dos desafios existenciais de seu tempo. Também são marcantes pela fluidez na escrita e pelo bom humor, além da ironia fina e cortante reservada a seus adversários filosóficos e políticos.

Apesar de quase bicentenárias, algumas passagens parecem recém-escritas. Nelas figuram uma série de sujeitos contemporâneos, como religiosos fundamentalistas, capitalistas grosseirões e filósofos pedantes, bem como trabalhadores e imigrantes em sua luta cotidiana por uma vida digna e humana.

Os textos, organizados por José Paulo Netto para a Boitempo, interessarão não somente a jovens pesquisadores e militantes políticos, mas também ao leitor culto e crítico que queira conhecer mais sobre a sociedade europeia industrializada de meados do século XIX.

Que esta seleção original das obras de juventude de Engels, em sua maioria inéditas em português e traduzidas dos originais em alemão e inglês, possa inspirar não somente novas pesquisas e debates, mas, principalmente, a superação dos atuais dilemas econômicos, políticos, sociais e ecológicos que desafiam a humanidade e o futuro do planeta.

***

Diversos autores e intelectuais apontaram Friedrich Engels como o primeiro marxista. Enquanto Karl Marx ainda focava seus combates na filosofia, o jovem Engels publicava “Esboço para uma crítica da economia política”, texto que dá título a esta obra e é considerado o embrião da crítica da economia política, que seria desenvolvida mais tarde por Karl Marx e encontraria seu máximo desenvolvimento em O capital.

Além do artigo citado, outros dez compõem a coletânea, sendo oito inéditos em português. Aos artigos compilados por José Paulo Netto, escritos durante a juventude de Engels – de 1839, quando tinha dezenove anos, a 1847, véspera da redação do Manifesto Comunista –, soma-se um relato de viagem que o autor fez a pé da França à Suiça. Registram-se ali seu vibrante bom humor e o contato com os camponeses que lhe permitiu prever a ascensão de Luís Bonaparte. Netto também assina a apresentação, que faz um belíssimo resumo biográfico de Engels à época, sua formação e seu encontro e colaboração com Karl Marx ao longo da vida, além de uma detalhada contextualização da produção do período, por meio de vastas notas de rodapé com indicações bibliográficas úteis para leigos e estudiosos.

Em Esboço para uma crítica da economia política e outros textos de juventude o leitor tem a oportunidade de acompanhar a formação do intelecto crítico de Engels e o surgimento dos principais temas e problemas que, adiante, comporão o núcleo do marxismo, bem como o papel pioneiro do autor, tanto em relação à política comunista moderna quanto à crítica da economia política.

***

O livro de Friedrich Engels tem tradução de Nélio Schneider, Ronaldo Vielmi Fortes, José Paulo Netto e Maria Filomena Viegas, organização e texto de apresentação de José Paulo Netto, texto de orelha de Felipe Cotrim e capa de Antonio Kehl sobre desenho de Gilberto Maringoni.

***

Disponível em nossa loja virtual e e-book à venda nas principais lojas do ramo:


Hoje, às 14h, na TV Boitempo, debate de lançamento de Curso Livre Engels. Inscreva-se no canal, ative as notificações e não perca!


Confira a aula de José Paulo Netto sobre a trajetória do jovem Engels e lançamento de Esboço para uma crítica da economia política e outros textos de juventude, na TV Boitempo.

***
Felipe Cotrim é mestre em História Econômica pelo Programa de Pós-Graduação em História Econômica da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: