Albertina

14.10.22_Izaias Almada_Albertina

O colunista relata ter se emocionado com a reação da entrevistada ao ler o artigo para ela, que assim se expressou: “quer dizer que agora sou gente?”

Por Izaías Almada.

Albertina trabalha como diarista em algumas casas em São Paulo. “E com muito orgulho”, diz ela.

Albertina Rodrigues de Oliveira nasceu em Macaúba, interior do Piauí, próximo ao município de Floriano, em 1947, na fronteira com o Maranhão. Filha de Norberto José de Oliveira e de Maria Rodrigues de Oliveira.

Floriano, cidade às margens do rio Parnaíba, tem o nome em homenagem ao marechal Floriano Peixoto, militar nacionalista que governou o país em substituição a Deodoro da Fonseca dois anos após a Proclamação da República em 1889.

Albertina veio para São Paulo em 1978 depois de passar um ano em Fortaleza no Ceará. Seus pais, ainda vivos, o pai com 91 anos e a mãe com 88, tiveram nove filhos, dois já falecidos. Albertina é a filha mais velha.

Começou a trabalhar ainda novinha para ajudar os pais, mas ainda assim conseguiu estudar até o terceiro ano do Curso Normal. Alfabetizou-se no campo, na zona rural piauiense com a professora Maria Olívia, de quem nunca se esqueceu.

Sua infância foi difícil como a de qualquer criança nascida no interior do Piauí na primeira metade do século XX, trabalhando na roça e ajudando a criar os irmãos mais novos.

Quem já não ouviu histórias semelhantes?

Contudo, Albertina tem suas próprias histórias e suas particularidades. Tem histórias que só ela viveu, como cada um de nós.

Quando veio para São Paulo tomou um susto. Nos primeiros dias teve medo, vida extremamente penosa, agitada, quis voltar no primeiro ônibus, mas achou que seria covardia de sua parte. Resolveu ficar.

Católica, embora não acredite no inferno e nem no diabo. Para Albertina o inferno é aqui mesmo. E como disse o filósofo Jean-Paul Sartre, esse inferno são os outros.

Uma das histórias de Albertina aconteceu no ano de 1990 quando foi visitar os pais, após uns bons anos sem vê-los. Conheceu Luiz Inácio Lula da Silva em Floriano e ficou encantada e ao mesmo tempo assustada com todas aquelas bandeiras vermelhas. As coisas que ouvia dizer do PT assustavam-na e, naquela época, costumava votar no PMDB.

Na ocasião ouviu do pai, homem de poucas palavras, uma espécie de vaticínio sobre Lula: “nessa eleição ele não entrou, mas entrará em duas seguidas… Esse homem vai dar certo”.

Até hoje o pai de Albertina, com seus 91 anos de idade, não admite que se fale mal de Lula. Em época de eleições, pede para o levarem de Macaúba até Floriano para poder votar no PT.

Emotiva, Albertina diz que se encantou com Lula quando soube de sua atitude em pedir para ir ao enterro da mãe quando esteve preso.

Quando veio para São Paulo Albertina conheceu Bernadette Figueiredo com quem trabalha até hoje. Bernadette explicou-lhe muitas coisas sobre o Partido dos Trabalhadores e hoje vota no PT e defende com bastante convicção os governos de Lula e Dilma, sobretudo pelo que viu acontecer no nordeste e no seu Piauí.

É testemunha viva dessa mudança e cita os programas Luz para Todos e Bolsa Família, entre outros, como programas que estão redimindo o nordeste e boa parte do povo brasileiro.

“Dilma continuou o programa de Lula e fez ainda melhor”, diz Albertina.

E sobre as declarações do sociólogo FHC a respeito da votação de Dilma no nordeste?, perguntei a Albertina.

“Erro de avaliação”, respondeu… “Ele é que está desinformado sobre o nordeste e sobre o Brasil”

E arrematou: “Vou votar na Dilma domingo porque, além de tudo, é uma pessoa inteligente. Sabe explicar tudo direitinho para as pessoas mais simples. Com ela o país tem melhorado e vai melhorar ainda mais”.

***

Eleições630p

Especial Eleições: Artigos, entrevistas, indicações de leitura e vídeos para aprofundar as questões levantadas em torno do debate eleitoral de 2014. Colaborações de Slavoj Žižek, Mauro Iasi, Emir Sader, Carlos Eduardo Martins, Renato Janine Ribeiro, Edson Teles, Urariano Mota e Edson Teles, entre outros. Confira aqui.

***

Izaías Almada, mineiro de Belo Horizonte, escritor, dramaturgo e roteirista, é autor de Teatro de Arena (Coleção Pauliceia da Boitempo) e dos romances A metade arrancada de mim, O medo por trás das janelas e Florão da América. Publicou ainda dois livros de contos, Memórias emotivas e O vidente da Rua 46. Como ator, trabalhou no Teatro de Arena entre 1965 e 1968. Colabora para o Blog da Boitempo quinzenalmente, às quintas-feiras.

1 comentário em Albertina

  1. luiz roberto rodrigues da rocha // 23/10/2014 às 14:50 // Responder

    albertina eu tambem tive uma ou várias albertinas em minha vida.Algumas nordestinas,outras mineiras mas todas trabalhadoras incansaveis e amigas,bravas ,dedicadas etrabalhadoras.Silvia umagrandeamiga nossa casada com o Tonho um nordestino que veio pro sul e aqui aprendeu a ser tecnico em lidar com moldagen de plástico -serviço perigosíssimo e nem por isso bem remunerado….explorado sempre pelos donos ou laranjas de empresas multinacionais ou nacionais ,osatuais pais ou tios ou patrões dos tios e gerentes dos donos -ospiores coxinhas reacionarios que vejo.Silvia criava com carinho esacrificio dois filhos otimos,inteligentes,honestos e estudiosos.Tonho sofreu um grave acidente nos fornos perigosíssimos das fábricas de plasticos pra industrias automobilisticas e outros quejandos.Tonho ficou pra sempre com as marcas do fogo que queimou apele ealguns musculos de seu braço e nem indenização queriam pagar.Um canalha de um advogado trabalhista o procurou,acionoua Justiça e conseguiu uma indenização…só que ;metade…..EU DISSE metade …..DA INDENIZAÇÃO FORAM PARA O BOLSO DO CAUSÍDICO…..Assim funciona,infelizmente,a nossa torpe justiça e o nosso JUDICIARIO!Arre égua!…..Enquanto o ministro se privilegia de fortunas por infames habeas corpus…..Tonho sofreu na carne e n a pele a desgraça,a tragedia e a injustiça de um sistema judiciario corrupto e criado apenas para os ricos.Tonho e Silvia pegaram o que restou da indenização da sua carne conspurcada e retornaram pro Nordeste…..compraram uma casa com rua …quintal….e 5 comodos por Rs30.000,oo reais …..em 2011 e lá estão vivendo felizes e honestamente,longe das drogas .dos empregados de traficantes milionarios cujos filhos .em sua maioria,são mascarados que arrebentam a prefeitura de SP apenas porque o prefeito eleito é um grande prefeito e é eleito pelo povo trabalhador e pelo PT……Silvia teve mais uma filha láem sua cidade natal …lindíssima o filho mais velho trabalha com uma fotografa alemã diggna e democrata e civilizada,claro. E Tonho manda lembranças aos amigos todos que aqui fez e mantem….vez em quando umaf amilia de amigos os visitam em sua cidade em Pernambuco. ADignidade Vencendo a Agressão….com DilmaRoussef -Haddad -Silvia e Tonho…..

    Curtir

1 Trackback / Pingback

  1. O jeito estelionatário de ser do PSDB: Atriz afirma “EU NÃO VOU VOTAR NO AÉCIO NEVES” | MANHAS & MANHÃS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: