mídia

Lênin e a imprensa revolucionária

29/11/2018 // 5 comentários

Dênis de Moraes analisa a trajetória jornalística de Lênin e a evolução de suas concepções sobre a imprensa. Para o líder bolchevique, seria impossível conduzir a luta revolucionária sem dispor de um meio de divulgação através do qual o partido pudesse se pronunciar sobre questões e situações concretas da vida social. [...]

O monstro: sobre a chacina de Campinas, misoginia e notícias

02/01/2017 // 30 comentários

Por Daniela Lima / "Talvez o crime de Campinas seja justamente sobre a manutenção das relações de poder, do status quo, em um momento em que as disputas de narrativas sobre os casos de feminicídio trazem à tona crimes perversos que – é importante ressaltar – acontecem diariamente, embora nem sempre sejam tão noticiados." [...]

A mídia, a crise e o golpe

07/10/2016 // 3 comentários

Por Flávia Biroli / "O ponto mais agudo da crise, a deposição de Dilma, ganha sentido nas camadas de discurso colocados em circulação pela mídia empresarial, tanto quando na representação mais direta do processo de impeachment, com seus ritos e protagonistas. Como explicar a atuação política da mídia das grandes empresas nessa crise?" [...]

A televisão e a cena do mundo contemporâneo

05/10/2016 // 3 comentários

Por Rosane Borges / "É com o empenho de demonstrar o que é a TV e o que ela representa que o livro de Raymond Williams possui validade atemporal, conservando intacta sua força para explicar como um dispositivo tecnológico conseguiu cotidianizar os relatos, “desprovincianizar” o mundo e se instalar, irrevogavelmente, em vários lugares, os mais recônditos, e absorver e homogeneizar as expectativas dispersas." [...]

O que ainda resta de verdade nestas eleições?

24/10/2014 // 1 comentário

Espaço do Leitor: "Eis uma questão que vale ser levantada. Difícil respondê-la. Chuvas e mais chuvas – e não há qualquer ironia aqui, a água é drama na triste terra da garoa – de informações, textos, propagandas... O que há de verdade nisso tudo? O massacre diário contra o PT é um massacre contra o que se construiu em anos de trabalho, com todos os terríveis defeitos, mas com infinitos méritos – é preciso reconhecer. Massacre fantasiado de notícia policialesca e moldado pela estética jornalística. Mas atenção: nada disso retrata o ódio ao PT, que teria tido sua “chance” no palácio sem saber aproveitá-la – o velho e preconceituoso discurso. Os petistas se enganam com seu ódio aos tucanos, assim como estes também se iludem ao combater o suposto inimigo 'de esquerda'." [...]