manifestações

O 31 de março de Jair Bolsonaro

13/03/2020 // 10 comentários

Por Mauro Iasi / "O que Bolsonaro precisa é de uma guerra, ou ao menos algo que pareça uma guerra. Os venezuelanos já sabem, Trump já sabe... Os brasileiros ainda não, mas saberão em breve." [...]

Žižek: De Hong Kong ao Chile?

29/10/2019 // 8 comentários

Slavoj Žižek / "Devemos evitar a todo custo celebrar esses protestos por conta de sua distância em relação à política estabelecida. Há aqui uma difícil tarefa “leninista” diante de nós: como organizar o crescente descontentamento em todas as suas formas, incluindo os protestos ecológicos e feministas, na forma de um movimento coordenado e de larga escala? Se fracassarmos nisso, o que nos aguarda é uma sociedade de estado de exceção e descontentamento civil permanentes." [...]

A revolta não é um enigma

22/10/2019 // 4 comentários

Por Edson Teles / "Seja no Chile dos encapuchados ou dos revoltosos de hoje, ou no Brasil do Quebra-quebra de 1983 ou da revolta de junho de 2013, seja ainda nos momentos em que o “morro desce e não é carnaval”, o que temos se destaca é a sistemática tentativa de desqualificação de uma ação política." [...]

Urubus e arapongas nas manifestações e o nó que amarra a democracia

14/09/2016 // 10 comentários

Por Edson Teles / "Parece que o capitão do Exército Wilson Pina Botelho, disfarçado sob o codinome Balta, se infiltrou entre jovens ativistas e militantes e armou, no dia de uma das maiores manifestações contra o governo golpista de Michel Temer (por enquanto), uma arapuca contra um grupo que se reunia para caminharem juntos em direção à avenida Paulista. Em uma espécie de história digna de ditadura, misturado com a imagem de uma piada sobre a espionagem no país, o caso chamou a atenção para a presença do falso perfil de esquerda em meio aos movimentos de protesto. Teria ele sacrificado sua identidade secreta para prender duas dezenas de jovens que não representavam 'perigo à ordem pública'?" [...]

Somos todos vândalos?

10/09/2014 // 1 comentário

Christian Dunker / "A operação de Žižek no livro 'Violência' não é pela pacificação nem pela “violentização” da sociedade, mas pela desativação da retórica da violência, e pelo seu uso mais advertido na análise de eventos sociais." [...]

Os vivos e os mortos

18/02/2014 // 1 comentário

Vladimir Safatle / "A melhor maneira de lutar contra a violência é com a escuta. Escutar significa, por exemplo, parar de usar a morte infeliz de alguém para tentar criminalizar a revolta da sociedade brasileira." [...]