golpe

A ditadura que tentou matar o futuro

30/04/2020 // 1 comentário

Por Milton Pinheiro / "O perfil bonapartista, e a prática política do militar-presidente, tem colocado em movimento um golpe de Estado que já se apresenta em diversas ações, contudo, ainda não teve um desfecho institucional." [...]

Todos os livros sobre ditadura com até 60% de desconto

01/04/2020 // 1 comentário

Só até o final do dia, todos os livros da Boitempo sobre o golpe de 1964 e a ditadura militar estão com desconto. São mais de 30 títulos com até 60%. O desconto nos e-books sobre o tema é maior ainda: as obras estão disponíves por R$ 9,99 – tem até mini-livro gratuito para download! [...]

Quem fará a ruptura no Brasil?

26/03/2020 // 1 comentário

Por Milton Pinheiro / "Com o advento do coronavírus no quadro de condensação de crises no qual nos encontramos, abriu-se uma disjuntiva com força na luta de classes: ou a classe trabalhadora derruba Bolsonaro ou o militar-presidente, na sua lógica bonapartista, fará a ruptura no Brasil." [...]

O 31 de março de Jair Bolsonaro

13/03/2020 // 7 comentários

Por Mauro Iasi / "O que Bolsonaro precisa é de uma guerra, ou ao menos algo que pareça uma guerra. Os venezuelanos já sabem, Trump já sabe... Os brasileiros ainda não, mas saberão em breve." [...]

Marighella: ecos do chamamento

09/03/2020 // 1 comentário

Por Felipe Catalani / "Sem querer abusar de metáforas acústicas, pode-se dizer que na caixa de ressonância histórica do presente brasileiro é possível escutar ecos do chamamento de Carlos Marighella." [...]

A revolta não é um enigma

22/10/2019 // 3 comentários

Por Edson Teles / "Seja no Chile dos encapuchados ou dos revoltosos de hoje, ou no Brasil do Quebra-quebra de 1983 ou da revolta de junho de 2013, seja ainda nos momentos em que o “morro desce e não é carnaval”, o que temos se destaca é a sistemática tentativa de desqualificação de uma ação política." [...]

55 anos do Golpe de 1964: as lições da história

04/04/2019 // 3 comentários

Por Carlos Eduardo Martins / "Entre as lições a se tirar dos golpes de 1964 e de 2016, que se vinculam no tempo e na história, está a de que o assalto ao Estado foi precedido por longa articulação na sociedade civil. Este assalto relacionou-se com a unidade ideológica das classes dominantes e as vacilações e ambiguidades das lideranças progressistas para lhe responderem com firmeza. Tais ambiguidades e vacilações, seja por concessões realizadas ou por falta de vontade para o enfrentamento radical, proporcionaram o espaço para a formação de uma base de massas provisória para lhe dar suporte." [...]