Uma introdução crítica e revolucionária ao pensamento econômico de Marx

Jorge Grespan comenta “Teoria econômica marxista: uma introdução”, de Osvaldo Coggiola, destacando que o autor cumpre com competência a difícil tarefa de conservar a complexidade do pensamento econômico de Marx ao mesmo tempo em que o apresenta de maneira acessível.

Por Jorge Grespan.

A exploração da força de trabalho pelo capital, mesmo que o salário remunere o trabalho realizado para o capitalista; o caráter social do progresso técnico, introduzido pelo capital para substituir a mão de obra no processo de produção, não para promover o bem-estar geral; a diferença entre a produção mercantil simples e a produção capitalista, que subordina as trocas à obtenção de mais-valor; a tendência à queda da taxa média de lucro e às crises econômicas, presente até nos momentos em que a reprodução do capital parece seguir um curso normal e perene.

Esses são alguns dos enigmas que Marx decifrou em suas obras de crítica da economia política – dos Grundrisse a O capital – e que Teoria econômica marxista: uma introdução, de Osvaldo Coggiola, procura explicar para um público amplo.

De fato, trata-se de uma nova edição de um material publicado há muitos anos, produto de um curso ministrado a operários argentinos ainda no contexto da ditadura militar naquele país, em 1981. À primeira edição, Coggiola acrescentou um capítulo sobre o fim da União Soviética e um adendo sobre o fenômeno da globalização. No entanto, a intenção original foi mantida: conservar a complexidade dos conceitos e dos raciocínios de Marx, mas em uma linguagem e com uma forma de apresentação que os tornassem acessíveis a todos.

Teoria econômica marxista cumpre com competência essa tarefa difícil, conjugando história e análise conceitual, citações de textos clássicos de Marx e exemplos baseados na experiência direta do trabalhador, sempre em um fecundo equilíbrio. A origem do capital, por exemplo, é examinada tanto como desenvolvimento das formas sociais mais simples da mercadoria e do dinheiro, conforme o projeto de apresentação categorial de Marx, quanto por sua gênese histórica na acumulação original ou primitiva. E a obra de Marx é apresentada sempre como uma consequência da luta de classes, que a inspira e antecede, mas que ela fortalece e potencializa.

Por tudo isso, a introdução ao pensamento econômico de Marx em Teoria econômica marxista alcança plenamente seus objetivos e constitui um meio poderoso para explicar e divulgar esse pensamento na dimensão mais cara ao próprio Marx: a de uma dialética “crítica e revolucionária”.

***

Em edição revista e ampliada, Teoria econômica marxista: uma introdução, do historiador, professor e escritor argentino Osvaldo Coggiola, publicada originalmente em 1998, apresenta os fundamentos da teoria econômica formulada por Karl Marx. De forma didática, Coggiola identifica e desvenda os aspectos centrais da principal obra do filósofo alemão, como capital, mercadoria, valor, mais-valor e trabalho. 

O texto é resultado de um curso de formação política do Partido Obrero (PO) da Argentina, realizado em 1981, nas condições de clandestinidade que eram as da ditadura militar argentina da época. Desse modo, o livro parte da experiência imediata do trabalhador para tornar os conceitos marxistas mais acessíveis, configurando uma primorosa obra introdutória à teoria econômica de Marx. 

“Com O capital, Marx coroou um percurso de pesquisa e reflexão de mais de duas décadas. Nele, demonstrou que os explorados modernos, os operários, vivem sob um regime de exploração particular, o capitalismo, radicalmente diferente dos regimes classistas anteriores (escravista, asiático, feudal). O trabalhador que se aproxima de sua leitura se surpreende de encontrar, analisados em uma obra de mais de um século e meio de existência, os problemas que a classe operária debate todos os dias nas fábricas: os salários e os mecanismos de exploração, as consequências do progresso técnico, a origem e as consequências das crises capitalistas.
– OSVALDO COGGIOLA

***

Teoria econômica marxista: uma introdução, de Osvaldo Coggiola, tem texto de orelha de Jorge Grespan, capa de Maikon Neri e edição de Carolina Mercês. A obra, junto a Marx: uma introdução, de Jorge Grespan estreia a série Pontos de partida, com textos introdutórios, coordenada por Ruy Braga.

***

E-book à venda nas principais lojas do ramo:

***

Jorge Grespan é professor titular do Departamento de História da USP e autor de O negativo do capital (Hucitec, 1998; Expressão Popular, 2012), Iluminismo e revolução francesa (Contexto, 2003), Marx e a crítica do modo de representação capitalista (Boitempo, 2019) e o mais recente Marx: uma introdução (2021). Colaborador da revista Margem Esquerda, Grespan também assina um dos capítulos do livro Curso Livre Marx-Engels (Boitempo, 2015), organizado por José Paulo Netto.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: