O que a Boitempo está preparando para 2019

Ano Marx

2018 foi o ano do bicentenário de um de nossos principais autores: Karl Marx, homenageado pela Boitempo com uma série de publicações e atividades em torno de sua vida, obra e legado. Ao longo do ano, enquanto principal casa editorial do filósofo alemão no Brasil e referência internacional por suas edições, lançamos dez títulos diretamente relacionados a esse marco histórico e organizamos debates, cursos e seminários voltados à popularização de Marx.

Entre os destaques do Ano Marx, está o primeiro volume da biografia escrita pelo cientista político alemão Michael Heinrich, Karl Marx e o nascimento da sociedade moderna, obra que permite compreender, de forma integrada, a vida, o pensamento, o mundo em que viveu Marx e seus interlocutores. Também foi o ano de David Harvey, um dos marxistas mais influentes da atualidade, que lançou A loucura da razão econômica; e da triste despedida do historiador italiano Domenico Losurdo, morto em junho deste ano e homenageado com a publicação de O marxismo ocidental.

E teve ainda Marx para crianças e em quadrinhos em 2018! Pelo selo infantil Boitatá foram publicados dois títulos que apresentam as ideias do “Mouro” aos pequenosO capital para crianças, de Joan R. Riera e Liliana Fortuny; e O Deus dinheiro, de Maguma, sobre os Manuscritos econômico-filosóficos, de Marx. Já a HQ Marx: uma biografia em quadrinhos, das suíças Anne Simon e Corinne Maier, saiu pelo selo Barricada.

Organizado no ano do bicentenário de nascimento de Karl Marx, com o objetivo de discutir a relação entre o pensamento de Marx, o marxismo e temas contemporâneos, o ciclo Diálogos com Marx promoveu encontros mensais entre abril e dezembro. A editora também promoveu eventos em outras regiões do Brasil com pesquisadores da obra marxiana, como o alemão Michael Heinrich, o italiano Marcello Musto e o britânico David Harvey.

Léxico Marx 

Este também foi o ano em que a TV Boitempo ultrapassou o marco de 100 mil inscritos, consolidando-se como o maior canal de editora brasileira no YouTube. A biblioteca do canal não pára de crescer e já soma mais de 600 vídeos.

Atendendo a pedidos no canal, ano que vem terá mais “Léxico Marx”! Com vídeo-aulas ministradas por Virgínia Fontes, Alysson Mascaro, Jorge Grespan, Marcos Del Roio, Michael Heinrich, entre outros!

Livros para tempos difíceis

A Boitempo teve participação fundamental em alguns dos debates mais importantes do ano com a publicação de obras como A verdade vencerá, uma longa entrevista de Luiz Inácio Lula da Silva; O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil, um amplo painel do avanço das direitas no Brasil, organizado por Esther Solano; Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil, de Flávia Biroli, sobre como, apesar de alterações significativas, o lugar das mulheres permanece subalterno, interpelando os limites da democracia; Meu crespo é de rainha, de bell hooks e Chris Raschka, infantil que incentiva meninas negras a amarem seu cabelo crespo; A nova segregação: racismo e encarceramento em massa, de Michelle Alexander, que analisa o sistema prisional dos EUA e revela as entranhas do racismo estrutural e institucionalizado nas sociedades ocidentais contemporâneas; A liberdade é uma luta constante, de Angela Davis, com artigos, discursos e entrevistas recentes da ativista, e obras de Alysson Mascaro, Boaventura de Souza Santos, Chico de Oliveira, Gyorg Lukács, István Mészáros, Lênin, Leonardo Padura, Luiz Bernardo Pericás, Maria Rita Kehl, Michael Löwy, Perry Anderson e Ricardo Antunes, entre muitos outros!

Aproveitamos a oportunidade para agradecer o apoio vital de todos os que nos acompanham – autores, colaboradores, professores, clientes, leitores –, parte essencial da história da Boitempo. Para 2019, acostumados que estamos a navegar em águas turvas, os leitores podem aguardar uma nova e imprescindível safra de publicações e eventos com os quais pretendemos ajudar a construir não apenas um tempo melhor, mas uma sociedade mais justa.

Algumas obras previstas para 2019

Rosa Luxemburgo: pensamento e ação [biografia]
de Paul Frölich

Pensamento feminista negro
de Patricia Hill Collins

Uma autobiografia
de Angela Davis

Sobre a questão democrática [coleção Arsenal Lênin]
de Vladímir Lênin

A origem da família, da propriedade privada e do Estado
de Friedrich Engels

Karl Marx: uma biografia
de José Paulo Netto

Signatura rerum
de Giorgio Agamben

A Palestina nos livros didáticos de Israel
de Nurit Peled-Elhanan

A cicatriz [ficção-científica]
de China Miéville

Figurações do modo de representação capitalista (título provisório)
de Jorge Grespan

Capitalism: a Conversation in Critical Theory
de Nancy Fraser

E mais…

Além dos citados acima, estamos preparando ainda edições incríveis de Karl Marx, David Harvey, György Lukács, Antonio Gramsci, Antonio Carlos Mazzeo, Luiz Bernardo Pericás, Luiz Eduardo Soares, Silvia Federici, Leonardo Padura, Ricardo Antunes e muitos mais… 2019 promete!


Livros publicados em 2018

A liberdade é uma luta constante, de Angela Davis.
A loucura da razão econômica, de David Harvey.
A nova segregação, de Michelle Alexander.
A transparência do tempo, de Leonardo Padura.
A verdade vencerá, de Luiz Inácio Lula da Silva.
Bovarismo brasileiro, de Maria Rita Kehl.
Brasil: Neoliberalismo versus democracia, de Alfredo Saad Filho e Lecio Morais.
Brasil: Uma biografia não autorizada, de Francisco de Oliveira.
Che Guevara e o debate econômico em Cuba, de Luiz Bernardo Pericás.
Crise e golpe, de Alysson Leandro Mascaro.
Dominação e resistência, de Luis Felipe Miguel.
Duas revoluções: Rússia e China, de Perry Anderson.
Esquerdas do mundo, uni-vos, de Boaventura Souza Santos.
Gênero e desigualdades, de Flávia Biroli.
Karl Marx e o nascimento da sociedade moderna, de Michael Heinrich.
Lacrimae rerum, de Slavoj Žižek.
O fogo e o relato, de Giorgio Agamben.
O marxismo ocidental, de Domenico Losurdo.
O velho Marx, de Marcello Musto.
Resgatar o Brasil, de Jessé Souza e Rafael Valim (coords.).
Tempo comprado, de Wolfgang Streeck.

Biblioteca Lukács, coordenada por José Paulo Netto e Ronaldo Vielmi
O jovem Hegel, de György Lukács.

Coleção Arsenal Lênin
Cadernos filosóficos, de Vladímir Lênin.

Coleção Marxismo e literatura
A estrela da manhã, de Michael Löwy.

Coleção Marx-Engels
Diferença entre a filosofia da natureza de Demócrito e a de Epicuro, de Karl Marx.
Escritos ficcionais, de Karl Marx.

Coleção Mundo do Trabalho, coordenada por Ricardo Antunes
A revolta dos intelectuais na Hungria, de István Mészáros.
O privilégio da servidão, de Ricardo Antunes.

Coleção Estado de Sítio, coordenada por Paulo Arantes
Tecnopolíticas da vigilância: perspectivas da margem, de Fernanda Bruno, Bruno Cardoso, Marta Kanashiro, Luciana Guilhon e Lucas Melgaço (orgs.)

Coleção Tinta Vermelha
O ódio como política, de Esther Solano Gallego (org.)

Margem Esquerda, revista semestral da Boitempo
Margem Esquerda n.31, edição especial dedicada ao tema da crise brasileira e mundial.
Margem Esquerda n.30, edição especial sobre marxismo e direito.

Barricada, selo de quadrinhos da Boitempo
Marx: uma biografia em quadrinhos, de Corinne Maier e Anne Simon

Boitatá, selo infantil da Boitempo
Em família, de Olga de Dios.
Meu crespo é de rainha, de bell hooks.
Neném outra vez!, de Maria Rita Kehl e Larte Coutinho.
O capital para crianças, de Liliana Fortuny.
O Deus dinheiro, de Karl Marx e Maguma.
O urso que não era, de Frank Tashlin.
Rã de três olhos, de Olga de Dios.


Até breve! Boas festas!

Equipe Boitempo

Ana Carolina Meira, Ana Yumi Kajiki, André Albert, Artur Renzo, Bibiana Leme, Clarissa Bongiovanni, Eduardo Marques, Elaine Ramos, Frederico Indiani, Heleni Andrade, Ivam Oliveira, Isabella Marcatti, Ivana Jinkings, Livia Campos, Kim Doria, Marlene Baptista, Maurício Barbosa, Talita Lima, Tulio Candiotto e Renato Soares.

10 comentários em O que a Boitempo está preparando para 2019

  1. Jailson Miranda Monte // 20/12/2018 às 6:14 pm // Responder

    Gostaria de receber informes sobre as publicações.

    Curtir

  2. A TV Boitempo para mim, neste duríssimo ano de 2018, foi um antídoto, um refúgio para manter a alma esperançosa e a mente em constante aprendizado, me ajudou a não esquecer que o presente, por pior que seja, é parte indissociável do processo de desenvolvimento das sociedade, com seus avanços e retrocessos. Muito obrigada a toda equipe e um carinho especial para Ivana.

    Curtido por 1 pessoa

    • Conta-se que, na década de 1970, atormentados
      por uma superpopulação de coelhos, os ingleses
      adotaram uma política tão bem-intencionada
      quanto equivocada, que culminou com a
      extinção da borboleta-azul no sul do país.

      O triste fim da bela borboleta é a metáfora
      escolhida pela economista Monica Baumgarten
      de Bolle para descrever a desconstrução do Brasil
      e a destruição da economia durante os anos de Dilma Rousseff (2011-2016).

      Depois de o Plano Real reduzir a inflação a patamares
      suportáveis e permitir a implantação de um conjunto
      de políticas sociais mais inclusivas via Fernando Henrique,
      a presidente Dilma chegou ao poder determinada a reformular tudo.
      Na prática, sua gestão levou a economia brasileira a uma situação
      catastrófica cujos efeitos se farão sentir por muito tempo, ainda.
      Sua inépcia e total ignorância e falta de sabedoria levou o Brasil
      para onde está hoje.

      Lógico que não foi o presidente Michel Temer, em tão ínfimo período,
      como se quer fazer acreditar o PT, com efeito, que utiliza de fato de lavagem-cerebral de maneira destacada, dia e noite no brasileiro médio [a utilizar, ainda, presentemente, a técnica João Santânica].

      Curtir

  3. Um professor em serviço social escrevendo sobre Marx. Só no Brasil…

    Curtir

    • Victor Santana De Araujo // 26/12/2018 às 7:55 am // Responder

      Paulo, não tenho dúvida de que esse é o único contraponto que você tem a capacidade de desenvolver.
      Mazzeo, Zé Paulo Netto, Ricardo Antunes, os falecidos Leandro Konder e Carlos Nelson Coutinho são algumas das principais referências marxistas no Brasil e até internacionais, quase todos do serviço social. E não por acaso, são rodeados por figuras mundialmente conhecidas no marxismo, como foi o caso de István Meszàros… Mas pelo visto não conhece o marxismo, o marxismo brasileiro, e se acha na autoridade de criticar não uma ideia, mas a autoridade de alguém para falar sobre Marx de acordo com seu título.

      Curtir

  4. Ahhh, finalmente vão publicar as obras do Gramsci, estava sentindo falta. E que venham mais obras de Marx, Engels e Lukács!

    Curtir

  5. Marco Antonio Paiva // 04/01/2019 às 3:14 pm // Responder

    Ansioso demais por mais livros do China Mievile, adoro demais seu estilo literário, e fico feliz que não tenham abandonado Bas-Lag, quero muito terminar de ler essa maravilhosa série.
    Obrigado.

    Curtir

  6. Rivellino Batista // 05/01/2019 às 11:19 pm // Responder

    BRASÍLIA:
    dia 1°, totalmente verde-amarelo: O brilho do Sol, nosso astro mor. Vermelho? Somente as tulipas holandesas no jardim externo do Palácio do Planalto e o tapete vermelho, inclusive que o heróico & corajoso Bolsonaro e o nobre índio Mourão — o vice — com enorme prazer pisaram sobre.

    Curtir

  7. Adriano Marcos // 10/01/2019 às 8:00 pm // Responder

    Há alguma previsão para a publicação de uma nova edição de Considerações Sobre o Marxismo Ocidental de Perry Anderson ?

    Curtir

  8. Mais Marx, Engels, Lenin , Trotsky, abraços a todos da Boitempo.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: