Cinco verbetes sobre Theodor W. Adorno

Boitempo 32[Fotografia do artista plástico Elyeser Szturm feita especialmente para esta coluna de Ricardo Musse]

Por Ricardo Musse.

Teoria crítica

O termo “teoria crítica” surgiu como codinome para o marxismo, na década de 1930, época da ascensão do nazi-fascismo e do stalinismo. Sob tal disfarce, delineou-se uma nova formulação da doutrina, preocupada em preservar essa linhagem sem o amparo de suas âncoras tradicionais, o proletariado e o partido.

A versão então exposta, ulteriormente denominada “materialismo interdisciplinar”, atesta o predomínio intelectual e político, entre seus partidários, de Max Horkheimer, na ocasião diretor do Instituto de Pesquisas Sociais. Os artigos publicados na revista do Instituto, Zeitschrift für Sozialforschung, sobretudo, os de sua lavra, constituem a espinha dorsal do movimento que ficou conhecido como “Escola de Frankfurt”. Continuar lendo

Os retrocessos de CLACSO

clacso 2015 emir[XXV Assembleia Geral da CLACSO: VII Conferência Latino-Americana e Caribenha de Ciências Sociais]

Por Emir Sader.

O Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO) completa três anos de um novo mandato sofrendo um processo de enormes retrocessos. Despareceu da esfera pública, tanto política quanto intelectual, justamente quando seu engajamento se mostrou mais necessário. Ao mesmo tempo, aboliu ou reduzir enormemente a importância de iniciativas que promoviam a imagem do pensamento crítico, seus autores clássicos, os debates mais importantes. É triste: justamente quando o continente mais necessita do seu pensamento crítico, Clacso retrocedeu, deixou de convocar os grandes debates, seus dirigentes ficaram no anonimato.

É como se Clacso tivesse passado pelo mesmo processo de esvaziamento dos Fóruns Sociais Mundias, que hoje praticamente só existem quando se realizam os Fóruns, a cada dois ou três anos. Clacso agora é assim: só aparece a cada três anos, quando realiza sua Assembleia Geral, depois volta para seu triste anonimato. Clacso necessitaria ter na sua direção alguém que estivesse presente, diariamente, em todas as lutas de ideias, as lutas sociais e culturais, do continente.

Continuar lendo

Entre a responsabilidade ou a omissão: por um posicionamento da intelectualidade crítica a respeito da reestruturação escolar do governo paulista

a escola é nossa blog da boitempoBlog da Boitempo apresenta em seu Espaço do leitor textos inéditos escritos por nossos leitores. Quer colaborar também? Saiba como no fim deste post!

Por Douglas Oliveira.

Quando alguém bate à nossa porta, não é incomum que a primeira reação do ‘intruso’, tão logo receba o mínimo sinal de atenção, seja um constrangido sorriso amarelo seguido de um pedido de desculpas por estar incomodando. Não é a postura que vamos assumir aqui. Este texto é consequência de uma solicitação feita à própria Ivana Jinkings – que gentilmente cedeu o espaço do blog –, por professores da rede estadual de ensino do estado de São Paulo, que estão diretamente envolvidos com as mobilizações que há cerca de um mês tomam as ruas e os espíritos de milhares de estudantes e docentes da educação básica. Continuar lendo

Paris, terror e humanidade

Mauro Iasi Paris humanidade terror blog da boitempo[Tricolor francês sobre imagem de Barack Obama durante pronunciamento sobre os atentados de 13.11.2015]

Por Mauro Luis Iasi.

“Quando nascer o dia
e limparmos da varanda
os morcegos mortos
teremos que ter todo o cuidado
para não estar entre eles”.

(Mauro Iasi. Sobre o Trabalho da Civilização)

Devemos iniciar com a solidariedade e respeito ao sofrimento das vítimas e aos familiares daqueles que sofreram os ataques coordenados ocorridos em Paris. Nossa intenção de refletir analiticamente sobre eventos como estes não pode nos deixar indiferentes à dor daqueles que são atingidos, feridos ou perdem sua vida como peças de um jogo que nem sempre, ou quase nunca, compreendem de fato. Continuar lendo

Lefebvre, 1955: crítica e generosidade

Henri Lefebvre José Paulo NettoPor José Paulo Netto.

Numa daquelas olhadas descomprometidas que velhos e contumazes leitores dão a prateleiras da sua biblioteca, duas semanas atrás deparei-me com um pequeno livro editado há quase trinta anos: Lukács 1955/Etre marxiste aujourd’hui (Paris: Aubier-Montaigne, 1986), composto por um texto de Henri Lefebvre (1901-1991) e um ensaio de Patrick Tort. Não revisitei as páginas de Tort (que, nascido em 1952, hoje anima o Institut Charles Darwin International, por ele criado em 1998), mas não resisti à tentação de reler o ensaio de Lefebvre, por quem nutro uma cinquentenária admiração. Continuar lendo

Mega-promoção \\ Boitempo 20 anos

PROMOÇÃO 20 ANOS

Este ano, a Boitempo completa 20 anos! Na esteira das comemorações das duas décadas de história semeando o pensamento crítico, apresentamos uma mega-promoção em parceria com as livrarias Martins Fontes e Cortez. São livros com até 70% de desconto até o final da semana. Tem Žižek, Mészáros, Maria Rita Kehl, Paul Virilio, Emir Sader, Mike Davis, Lenin, John Reed e muitos outros… A promoção ocorre no site da Livraria Martins Fontes, e na lojas físicas da Livraria Martins Fontes na Paulista e da Livraria Cortez na Rua Bartira, em São Paulo. Mais detalhes sobre a promoção ao final deste post! Não perca!  Continuar lendo

Žižek: O ateísmo é um legado pelo qual vale a pena lutar

zizek ateismoPor Slavoj Žižek.*

No contexto do lançamento do aguardado O absoluto frágil, ou, porque vale a pena lutar pelo legado cristão, de Slavoj Žižek, recuperamos este artigo do filósofo esloveno que procura reabilitar, da perversa ética multiculturalista do capitalismo contemporâneo, o núcleo emancipatório do ateísmo. Ao invés de se relacionar de forma exterior com a religião – sucumbindo assim à armadilha da “tolerância” –, Žižek subverte a abordagem e propõe levarmos a crença a sério e cobrar dos crentes a responsabilidade sobre aquilo em que creem. É esta perspectiva avessa ao lugar comum que anima também O absoluto frágil, um ensaio explosivo que defende uma aproximação entre o cristianismo e o marxismo num projeto político emancipatório renovado. Nas palavras do esloveno: “O primeiro paradoxo da crítica materialista da religião é este: às vezes é muito mais subversivo destruir a religião a partir de dentro, aceitando sua premissa básica para depois revelar suas consequências inesperadas, do que negar por completo a existência de Deus.” Confira! Continuar lendo

A liberdade de falar sozinho

O direito de falar sozinhoPor Luis Felipe Miguel.

A recente aprovação do PLS 141/2011, relativo ao direito de resposta nos veículos de comunicação, despertou uma reação enfurecida das empresas de mídia, seja por meio das suas associações (ANJ, ABERT), seja por meio de editoriais e de artigos e entrevistas de seus porta-vozes formais e informais. Como sempre, no discurso deles, qualquer tentativa de regulação pública da atividade jornalística empresarial aparece como uma ameaça à liberdade de expressão. Continuar lendo

Confira os vídeos do curso Sociologia Marxista da Religião, de Michael Löwy na TV Boitempo

sociologia marxista da religião

Em tempos acirramento de fundamentalismos pra todos os lados, a Boitempo lança esta semana o aguardado O absoluto frágil, ou, porque vale a pena lutar pelo legado cristão, de Slavoj Žižek, um ensaio explosivo que defende uma aproximação entre o cristianismo e o marxismo num projeto político emancipatório renovado. Nas palavras do esloveno: “O primeiro paradoxo da crítica materialista da religião é este: às vezes é muito mais subversivo destruir a religião a partir de dentro, aceitando sua premissa básica para depois revelar suas consequências inesperadas, do que negar por completo a existência de Deus. Continuar lendo

A crise do pensamento crítico latino-americano

emir sader1[Detalhe da capa de Equador: da noite neoliberal à revolução cidadã, novo livro sobre economia latino-americana do presidente Rafael Correa, traduzido por Emir Sader]

Por Emir Sader.

É no momento de auge dos enfrentamentos políticos e das grandes lutas de ideias na América Latina que se sente com mais força a relativa ausência da intelectualidade critica. No momento em que os governos sofrem as mais duras ofensivas da direita, buscando impor processos de restauração conservadora, valendo-se do monopólio dos meios de comunicação, o pensamento critico latino-americano poderia ter um papel importante, mas sua ausência relativa é outro fator que afeta a força do campo da esquerda. Continuar lendo